AMAZOGRAMAS: Roberto Huarcaya

por Laura Del Rey

A instalação do artista ocupa a área central da Casa da Frontaria Azulejada. São dois painéis enormes, um de cada lado, exibindo as imagens feitas à noite pelo peruano na Amazônia de seu país.

Os registros foram criados com a utilização de fashes e da luz da lua cheia, gerando um resultado visual extremamente único, ressaltado pela forma ondulada com que se montaram os painéis.

fotografia: Sara De Santis

Huarcaya, que não usou câmeras nem lentes no trabalho, deixa em AMAZOGRAMAS que “a fotografia se construa a si mesma” sobre tiras de papel fotossensíveis. Consegue, assim, uma intensa energia de vida que hipnotiza os visitantes ao se depararem com os “autorretratos da floresta”.

O curador Horácio Fernandez destaca que os 90 metros de imagem foram lavados nas águas dos rios locais. O que sentimos, caminhando pelos imponentes arcos da construção histórica, é uma natureza que, na crueza do preto e branco, deixa um vestígio potente de presença e espírito.

detalhe de AMAZOGRAMAS (Roberto Huarcaya)