Expandindo o entendimento sobre fotografia: uma conversa com Oscar Muñoz

por Felipe Abreu e Luis Kita

Oscar Muñoz / Sara de Santis

Oscar Muñoz e Horacio Fernández tem a responsabilidade de encerrar as atividades da Arena Zum neste sábado. O curador e o artista visual irão discutir o campo expandido da fotografia, trazendo uma série de provocações e questionamentos para o público, mantendo a tendência da mesa de discutir questões de processo e visão da criação artística, sempre provocando quem acompanhe os debates. Conversamos rapidamente com Oscar Muñoz para saber um pouco mais sobre seu trabalho e o que veremos hoje de noite:

Que tipo de narrativas você busca construir com a sua obra?

Eu trabalho com coisas que trabalham com a imagem fotográfica em grande parte, fotografias feitas por outras pessoas e as tomo a partir de seus meios e a partir destas imagens busco criar extrapolações que tem a ver com o vazio, a presença, a ausência, o branco, o negro, entre outas oposições. Assim construo estes tipos de consideração que te alguma maneira tem a ver com as buscas da prática fotográfica, uma certa pulsão do homem de imprimir, de transcender, fixar, de passar seus conhecimentos para o próximo.

Seu trabalho lida com elementos bastante delicados como a luz e o vapor de água. Qual o papel do efêmero na sua produção visual? Como esses elementos se organizam em seu processo de criação?

Digamos que entre estas extrapolações que falei estão a fixação e o movimento, o que é suscetível a transformações e o que não é, criando estas oposições. Um dos elementos que tem capacidade de se transformar é a água, passando entre sólido, líquido e vapor. Também uso pó de carbono como material que tem para mim um sentido potente, que uso como meio e também como material expressivo.

Você conversará com Horacio Fernández sobre o campo expandido na fotografia. O que você espera da conversa?

Espero que a conversa de hoje com Horacio, que é uma pessoa tão sensível, de uma mente brilhante, permita estabelecer uma comunicação melhor com o público e abrir outras opiniões, ideias e possibilidades que tem a imagem fotográfica à partir do seu uso, da origem da fotografia, que é parte do que me interessa neste meio.