Pe. Fábio de Melo fez um comentário sobre paixão muito sensato:
 "O outro não tem obrigação de ser como a gente imagina que ele seja."

Realmente. Por vezes criamos expectativas em um sentimento que chega em nossa vida. Porém é justamente a estadia - e não a chegada -, o tempo, o dia a dia, que mostrará o quão verdadeiro ele é pra vida. A cegueira inicial que uma relação cria sobre o ser amado, com o tempo, aquele ar de perfeição acaba passando e a realidade fica mais palpável, os defeitos surgem, a proximidade aumenta e, consequentemente, os atritos também. Um quadro super favorável para o fim de uma história. Nesse ponto, a paixão pode se tornar uma lembrança ou dar lugar a algo mais sólido. Bem, isso não acontecerá uma vez na vida. Acaba, que com as pancadas, decepções e coisas do gênero: Dor de cotovelo - 😂 - aprende-se que o amor é uma escolha feita por dois. O amor é uma aliança que vai além de sentimentos, que supera rotinas chatas, que nem sempre inova, que erra bastante, mas que perdoa e confia. É o sentimento mais arriscado que o ser humano pode viver, em contrapartida, é o mais durável na nossa vida terrena. Dom divino para nós, humanos, seres imperfeitos.

Diego Vieira