“Às vezes eu só não aguento mais.
Muitas vezes, na verdade.
Não aguento mais não gostar do que tenho ou do que sou.
Não aguento mais não conseguir algo que quero.
Não aguento mais o quanto falam e falam e nao se importam se estão machucando!

Não aguento mais incertezas.
Não aguento mais o sono mil vezes interrompido.
Não aguento mais meus pesadelos repetidos.
Não aguento mais culpa.
Não aguento mais!

Não aguento mais essa sensação.
Não aguento mais o nó.
Na garganta.
No estômago.
Na língua.
No peito!
Não aguento mais não aguentar mais.
Não aguento mais sentir que não vai melhorar.

As vezes não aguento mais…
e me pergunto se deveria.”

[Euflorindoli, na cama, 26 de julho de 2017, às 9h18min]

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.