“Essxs pretxs acham que sabem demais”

2017, vários anos depois do teórico fim da escravização do povo preto, ainda hoje as armas do racismo são as mesmas.

Quando os colonizadores desembarcavam em terras africanas para sequestrar os negros de suas terras, ali já começava um processo que vou chamar de desumanização do negro. Os colonizadores forçavam os negros a darem dez voltas em torno do baobá (árvore sagrada africana), e diziam que após dar essas dez voltas, as pessoas iriam esquecer quem eram. Iriam esquecer seus nomes, suas histórias, seus familiares, sua vida. — mas é bem óbvio que isso não acontecia.

Quando desembarcavam aqui, eram rebatizados, ganhavam outros nomes que não os pertenciam. E toda sua historicidade era negada. Apagada, mesmo que dentro de si, continuava acesas e vivas. Eram tratados como nada, apenas corpos que serviam, que não podiam falar, se expressar, sentir, ser.

O que eu quero dizer com isso?

Ainda hoje o negro é desumanizado, ainda hoje. É desacreditado desde o seu nascimento, e já nasce com uma carga gritante de preconceitos e estereótipos impostos sobre ele. É desumanizado.

O negro nasce e já começa a receber cargas de que sua cor é feia, seu cabelo é feio. Que ser o que ele é, não é bom. Um processo lento e doloroso que o faz negar sua identidade. Que faz querer ser outro. Que acredita que o bonito, é alguém que é totalmente oposto às suas características.

Não há referências nas histórias

Na televisão

Nos filmes

Nos brinquedos

Isso nos faz acreditar que não somos tão importantes e nem que mereçamos ocupar algum lugar. Isso é ferramenta de desumanização. Não encontramos nosso lugar, e nos contentamos com o lugar que os colonizadores modernos dão pra gente.

Dizem o tempo inteiro que o negro é ladrão, que o adolescente negro não vai viver muito, não vai ter futuro, pois logo logo a sua “inclinação natural” vai fazer com que ele encontre seu caminho. Que segundo eles, é o crime.

Desumanização do negro.

Contrariando essa estatística, ao chegar nas universidades, ou mercado de trabalho. Essa carga vem com mais peso ainda, — como se já não bastasse esse sistema cruel desde a infância.

Você começa a ser desacreditado na faculdade o tempo inteiro. Tentam te dizer que ali não é o seu lugar, você novamente não encontra referências. Não há professores negros, não há matérias que estudam personalidades negras dentro de sua área.

Quando você chega ao mercado de trabalho, ignoram o quanto você sabe das coisas, ignoram seu conhecimento, ignoram sua experiência.

Racismo institucional

E mais uma vez, a desumanização.

A sociedade ainda não está acostumada a ver os negros ocupando lugares que historicamente os eram privados, não estão acostumados a ver negros ocupando espaços que antes não os permitiam chegar. — E ainda não permitem.

O que mudou, foi que os negros não aceitam mais somente baixar a cabeça e concordar, reconheceram o quanto podem, reconheceram o quanto sabem, reconheceram o quanto são capazes. E o que os colonizadores modernos fazem então?

“Essx pretx acha que sabe demais”

Desumanização, o fato de o negro ter conhecimento se tornou algo ameaçador, se você se coloca, se você demonstra, se você mostra, quando não é silenciado pelo poder estrutural de um cargo que quase sempre é de um chefe branco. Você é visto como alguém que desrespeita

Mas saber é desrespeitoso?

Pois é, pra quem não aceita que um negro saiba das coisas. É um grande desrespeito. Vou citar aqui alguns exemplos.

· Você dá alguma ideia, sabe explicar o porquê da ideia, mas ela é recusada sem explicação do motivo, somente é recusada.

· Você dá alguma ideia, a pessoa diz não ser boa, mas fala a mesma coisa, com as palavras dela, pra parecer (pra ela), que a ideia foi dela e não sua.

· Quando você diz que o que a pessoa falou tá errado, ela logo diz: Eu sei do que tô falando. Como se você também não soubesse, sem nenhum espaço pra você explicar o motivo de acreditar estar errado.

· E claro o clássico: Quem disse que você sabe de alguma coisa? Bom, talvez o quanto você estudou, seu diploma, seu trabalho esteja dizendo que você sabe?

Escuto por aí que hoje “o racismo é velado”, mas é velado pra quem se reconhecemos que esses tipos de atitudes são frutos do racismo? Velado pros colonizadores? Mas pra eles nada é racismo e nem nunca foi. Lembram que a escravidão era prevista em lei?

“Essx pretx acha que sabe demais”

E nós sabemos.