Antigamente quando alguém me perguntava sobre qual seria meu ponto fraco eu não tinha uma resposta na ponta da língua, não era algo que responderia prontamente até pq eu acabei criando uma enorme bolha em volta da minha áurea pq eu tinha medo do que tudo pudesse vir a me afetar, a atingir toda a minha longitude. Hoje, quando eu mesma me questiono a única resposta que me vem na cabeça são seus olhos. Voce meio que quebrou esse paradigma que eu inventei. Eu não sei se você acredita em conexões, não sei se de fato você acredita em algo, mas existem sim conexões entre matéria-espírito são essas vibrações que nos movem e olhar seus olhos castanhos e firmes me fez crer que o que quer que seja, meus neurotransmissores vibraram quando você esteva por perto. eu senti uma extensão divina que me fez acreditar que por algum motivo a gente se encontrou e estamos aqui agora. independente do que vier a acontecer no depois do aqui e do agora eu te agradeço por ter me feito voltar a vibrar, por me fazer voltar a sentir a borboleta que ha em meu estômago, pelas incontáveis risadas que voce arrancou de mim ate quando eu nao queria rir, por ter feito meu corpo tremer e principalmente por você ter ultrapassado essa minha linha imaginária que impedia qualquer que fossem o toque. eu te agradeço por me fazer voltar a acreditar que existe sentimento e que por mais que você não esteja na mesma frequência que a minha eu te agradeço. eu penso que cada um de nós tem uma constelação no peito e que quando você conhece outro peito eles se juntam e formam um imenso e vasto universo que se codificam e formam sistemas, seu peito por mais que so em pensamento esteve junto ao meu eu te agradeço por ter sido a minha constelação nesse curto período em que te conheci. eu acredito no seu mundo mesmo que seja distante do meu, mesmo que esteja a mil anos sóis distante do meu, eu acredito porque todos nós temos um mundo pra ser habitado e eu torço pra que o seu seja habitado por um corpo celeste capaz de explorar de forma harmoniosa todas as suas estruturas, desdes as mais tenebrosas as mais sutis. naquele sábado que pra mim parecia um domingo quando você abriu suas portas, e me fez conhecer um pouco do seu mundo eu percebi o quanto você é frágil e o quando você tem medo das coisas que podem vir a acontecer. talvez insegurança. mas eu entendi em meio a tantas coisas que ja me aconteceram que são exatamente o medo, a dor, a insegurança a tristeza que nos fazem acreditar no depois. eles meio que se completam um ao outro. é como se a vida fosse nada mais que uma ponte extensa. eu odeio o fato de você ser extremamente imprevisível pq eu nunca sei o que você vai ser na manhã seguinte e eu aprendi a aceitar isso, as vezes você me irrita por qualquer coisa, mas acredito que tudo isso contribuiu pra eu gostar tanto de você. espero que nas minhas outras encarnações você esteja la também, talvez diferente do que você é agora mas me fazendo te admirar mais ainda por tudo que você passou, que esta passando e que vem definindo a pessoa que você é, obrigado.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.