até gostaria de começar esse texto dizendo que estou meio perdido
mas a verdade é que não sei dizer se algum dia já me encontrei
certa vez eles disseram: “espero que você encontre o que está procurando”
e é triste pensar que não sei dizer com exatidão o que seria isso
acho que penso demais
acabo me sobrecarregando de ideias e imagens e teorias e ansiedades e qualquer coisa que me faça perder o foco
talvez não seja possível compreender a vida e viver ao mesmo tempo
o inacreditável é que já desisti há tempos de tentar esse entendimento
mas cada vez que paro um instante minha mente não me deixa em paz
estou tentando fingir que não dou a mínima
não gosto de pontos finais 
e aí vou enrolando e evitando conclusões enquanto penso todo dia em me sabotar e afundar em mentiras reconfortantes
a existência não é controlável
o dinamismo do tempo muito menos
e quem ainda acredita que ele é regular está completamente enganado
não somos nada retilíneos
ninguém sabe dizer quantos recomeços podemos ter ou quantos finais somos capazes de aguentar
continuo procurando alguém para me responder quantas histórias cabem dentro de uma história
vai passando a vida
estou observando preso entre uma percepção errônea e uma idealização absurda
odeio pontos finais
sou feito de vírgulas e reticências…

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.