O programador e o risco

Hoje pela manhã recebi uma mensagem no telegram com o link para um artigo aqui no medium de um programador que estava deixando bem claro que não programaria para ninguém recebendo porcentagem em troca. Eu até concordo em partes com ele, porém acho que ele não foi tão profundo na questão.

Eu venho falando nos grupos que faço parte sobre isso, porém acho que ainda deixo dúvidas quando falo desse assunto. As discussões ainda são rasas e talvez por isso eu ainda não tenha mostrado o meu pensamento sobre isso com mais certeza.

Como não gosto de escrever textos muito longos aqui, tentarei usar de síntese e esperar qualquer pergunta sobre algum ponto. Sendo assim, vamos lá!

O cara do texto dizia algo do tipo:
- Fulano veio falar comigo sobre uma ideia que ele teve, perguntou se eu poderia desenvolver para ele e eu receberia uma porcentagem sobre o negócio. Eu disse que não me interessava porque eu só iria perder o meu tempo se o negócio não desse certo.

O amigo citou algumas partes do texto, eu pedi a sua opinião a respeito e, em seguida, o que eu disse ao amigo enquanto conversávamos a respeito:
- Cara, eu não vejo como problema isso não. Se você achar que a ideia é desafiadora e tem potencial de virar negócio, por que não investir seu tempo para desenvolver o software dela? Se não virar negócio o que você perdeu, tempo? Ou será que você investiu tempo e ganhou experiência?

Temos, ainda, esse problema de achar que o cara que veio apresentar a ideia e nos pedir para trabalhar com ele no desenvolvimento é um explorador ou coisa do tipo (muita gente pensa assim), ou que vamos somente perder tempo porque se o cidadão não quis investir dinheiro e pagar pelo desenvolvimento, ele não acredita de fato na ideia dele e quer que eu me ferre sozinho desenvolvendo.

Outra parte do texto falava sobre o dono da ideia propor pagar parte do valor do trabalho do programador em dinheiro e outra parte em participação no negócio. Concordo com ele que poderia haver isso, mas pergunto: Por que essa proposta tem que, necessariamente, vir do cara da ideia e não do programador? Por que o programador, ao ver (se vir) algum valor na ideia, alguma possibilidade de sucesso, não pode propor isso?

Falo aos meus amigos programadores sempre que devemos ser mais do expectadores nesse mundo dos negócios, mas não digo que devemos ser irresponsáveis e embarcar em negócios ruins. As estratégias de validação estão ai para todo mundo, se enxergou valor, embarque também na validação e tente conquistar o mundo.

Empreender é fazer parte do negócio investindo aquilo que você tem: tempo, conhecimento e vontade. Se não quer empreender na ideia dos outros, tenha a sua, valide e tente vencer com ela.

Muitas coisas ficaram de fora desse texto. Se tiver alguma dúvida sobre isso ou sobre qualquer outra coisa relacionada, estou aqui para conversar. Em outra ocasião posso falar sobre outro aspecto desse mesmo texto em questão: a montagem da equipe.