7 insights sobre marketing de conteúdo para você sair da zona de conforto em 2016

Ano começando, estratégia de marketing de conteúdo na ponta do lápis, tudo certo para atrair mais leads, gerar conversões, explodir o contador de visitas ao site. Mas espera aí, você está com a mesma estratégia do ano passado? Sua frase preferida é “em time que está ganhando não se mexe”? Ui… precisamos conversar. Agora.

Nos últimos dez anos o marketing de conteúdo evoluiu tanto que ainda achamos que ele é uma estratégia nova, inovadora, surgida de 2014 para 2015. Ou será que você baseava suas estratégias de marketing on e offline em outra coisa que não conteúdo? Sim, ele é bem mais antigo do que parece, mas a cada ano troca a roupagem, acompanha tendências, responde diretamente ao comportamento do consumidor.

E como as coisas serão em 2016? Iguais a 2015? Nada disso. Então saia da zona de conforto, tire sua estratégia de content marketing da gaveta e vamos revisar alguns pontos:

Seu pacote de marketing de conteúdo é básico, médio ou avançado?

Não faz muito tempo que o Content Marketing Institute fez uma pesquisa para saber como anda o marketing de conteúdo nas empresas. Eles descobriram que elas focam seus esforços de conteúdo da seguinte maneira:

  • 72% em e-mail marketing, com envio de newsletters;
  • 56% em blog posts.

Nada de errado com nenhuma das duas estratégias, afinal, elas geram grandes resultados. Porém, todavia, entretanto, já estamos experimentando uma verdadeira revolução com o conteúdo visual, que está cada dia mais interessante e… procurado.

Em uma galáxia não tão distante, os vídeos, os gifs, os infográficos, as imagens, estão bombando e vão bombar ainda mais. Então se você estava no pacote básico — e-mail marketing + blog posts — faça um up sell agora mesmo. Seus resultados de fim de ano agradecerão.

Você já educou, informou e entreteve — e agora?

É fato que vimos uma verdadeira explosão de conteúdo na internet — até eu faço parte disso. Vemos conteúdo de topo de funil aos montes, muitos de meio de funil, alguns de fundo. Mas e o engajamento, cadê?

Esse é o desafio de 60% dos setores de marketing: gerar conteúdo que engaje, que gere interação, que traga compartilhamentos, comentários, menções, viralidade. Que faça com que as pessoas voltem mais e mais vezes para o blog, que assinem a newsletter, a RSS, que acompanhem as redes sociais e sejam ativas, verdadeiras defensoras da marca. E como você vai conseguir isso?

Ser único é o único caminho

Mais de 70% das empresas já investe em marketing de conteúdo, seja de maneira incipiente, com o pacote básico, ou com estratégias avançadas e canais integrados. Mas o grande pesar desse conteúdo todo é que estamos ressoando conteúdos de outras pessoas o tempo todo.

Falta conteúdo original, que conte a sua própria experiência, que traga histórias inspiradoras. Nos valemos de dados e fatos ditos por outros para basear nosso argumento, mas e aí, não somos profissionais do nosso setor? Onde estão nossas próprias constatações a respeito do nosso mercado?

Ser único, original, exclusivo, é a melhor forma de gerar engajamento. Caso contrário, você não está atraindo leads só para si, mas para um monte de gente que está falando o mesmo que você. Sendo assim, cuide do seu conteúdo, escreva com carinho para o seu público, conte sua própria história.

O futuro do content marketing está nos dados, quer você queira ou não

Sim, boa parte de nós, comunicadores, odeia números e se dá muito mal com esses tais dados. Nosso negócio é falar, convencer, inspirar. Mas a realidade está longe disso. Se você pretende ter sucesso de verdade com marketing de conteúdo, precisa começar a se familiarizar com os tais dados.

Usar os últimos dez anos como fonte de conhecimento para compreender as mudanças no comportamento do consumidor, coletar o máximo de dados que puder das redes sociais, do seu site, do seu blog, e monitorar tendências.

O que esse apanhado de dados diz sobre o futuro do marketing digital? Como você pode aproveitar estes insights que estão por aí, quase de graça, para superar a concorrência e chegar na sua audiência com mais agilidade e preparo?

É sempre um parto quando preciso escrever sobre Big Data, mas reconheço: ele é o nosso futuro. Ele é o futuro do marketing de conteúdo inteligente e eficaz.

Consumidor exigente não é metáfora

Uma das frases que mais tenho lido por aí é que o consumidor online está mais exigente. Como ele tem acesso à informação, pode comparar o que você diz com o que outros dizem, ele não aceita qualquer coisa. E é verdade, pelo menos para os mais antenados com o seu mercado.

Mas se você pensava que o consumidor já havia chegado num patamar ótimo de exigência, só lamento. Lamento informar que esse nível de exigência tende a subir ainda mais, justamente porque tem conteúdo demais circulando na rede.

A tendência é que as pessoas selecionem suas fontes de informação com mais critério, assinando newsletters somente de quem realmente interessa. Lendo posts em redes sociais só se eles tiverem uma oferta de valor explícita. Interagindo somente com as marcas que reflitam seus próprios valores. Você está preparado para isso? E o seu marketing de conteúdo, também está?

Redes sociais não estão decaindo, isso é um mito

Já tem gente comemorando a morte do Facebook, dizendo que o uso de redes sociais está decaindo e que logo voltaremos à Idade da Pedra, gravando nossos comentários com lascas. Mentira.

Não é à toa que o Facebook continua crescendo, que o Twitter está inovando a cada dia, que o Linkedin está lançando novas formas de interação entre empresas e profissionais. Esse negócio de redes sociais dá dinheiro, e a gente gosta. Quanto tempo você gasta por semana nessas plataformas? Quantos amigos tem no Face, quantos contatos profissionais no Linkedin?

Em 2016 as estratégias de conteúdo para redes sociais só tendem a aumentar. É por ali que você começa o engajamento, a interação, o relacionamento. Só que você não pode ficar no básico, precisa inovar, criar vídeos, compartilhar imagens, apostar nos infográficos, especialmente para o Pinterest e o Instagram.

Quanto mais diversificado for o seu conteúdo, mais pessoas serão atingidas por ele, maior será o seu reconhecimento como fonte de dados e informações sobre o seu setor e maiores as chances de um bom negócio vingar.

Retorno sobre o investimento: ai, quem me dera!

Se você não consegue mensurar o retorno sobre o investimento do marketing de conteúdo, pare tudo agora mesmo e reveja seus objetivos de marketing. Marketing de conteúdo custa tempo, pesquisa, um bom redator, um editor de vídeo, um designer, dinheiro. E como investimento financeiro, tem que render lucro.

Quantos leads você gera com marketing de conteúdo, quantas conversões, quantas visitas ao site, quantos downloads do seu mais novo e-book. Mensure! Liste seus gastos e faça as contas, você está fazendo marketing de conteúdo para gerar receita ou está pagando para que alguém leia seus posts?

Ok, paramos por aqui para você não entrar em parafuso. 7 insights para você repensar sua estratégia de marketing de conteúdo para 2016 e sair da zona de conforto. Marketing de conteúdo é dinâmico, então mexa-se! Se você não fizer, a concorrência fará e ainda agradecerá com um belo cartão de Natal no final do ano.

Gostou? Não gostou? Quer contribuir? Fique à vontade para comentar!

Curtir isso:

Curtir Carregando…


Originally published at evelimwroblewski.wordpress.com on January 4, 2016.