Poção mágica: duas colheres de açúcar e um copo d’água

E quando a mente vai indo,

dissol

ven

d

o

Resta só o delírio?

Essência.

Tão pura e de austera leveza,

que se torna intangível, incorrigível

e pregnante (incomodamente).

(…)

Num sonho, eu olhava pra noite. Turva…

Lá do alto alguém me disse:

A mente não se perdeu. Foi se esconder, menina. Tá guardada.

Onde?

Não. Em quem?

Ora! Nos braços apertados contra o peito de quem soprou o primeiro vento sob suas asas

[ruah elohim]

(…)

Agora te entendo, Rosa!

Ela está encantada.

(…)

Brilho celeste, brilho celeste!
Enche a minha alma, a glória de Deus.
Com aleluias sigo cantando,
Canto louvores indo prá os céus.