Transparência… compartilhamento…. Entrega…

Acabo de ver o Círculo e ironicamente estou aqui para “compartilhar”. Li os Despossuídos e angústia começou a roer minha alma. O anárquico estado de mudança. No entanto o Círculo vem completar o sentido de exposição. Talvez, para você que não se coloca nas redes, pareça um filme exagerado ou futurista. Não! Ele é agora.

Nos colocamos a mercê do outro em mil redes, chats, mails… somos o outro e nós mesmos, expostos com a necessidade de avaliação constante.

Transparentes? Nem de longe.

Versões inventadas de nós mesmos impressos em bytes que se monetizam em dados para alguém. Nos tornamos produtos dos outros. Vendidos e comprados por um sorriso digital. Nossas relações se pautam em lembranças eletrônicas e manutenção da felicidade. 1984 aconteceu. Sua novelingua diz HueHue… fatos alternativos… #…

Somos… sou… uma cultura de exposição da aceitação. Ame ou desista.

Talvez seja melhor pensar.

Ou desistir.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.