Amizades tóxicas

Eu escolho minha saúde mental

Todo mundo tem ou já teve aquele amigo tóxico. Eu tive alguns na minha vida e espero não ter sido também, só que estou estourando a cota de pessoas que aparentemente querem o meu bem mas preferem me diminuir de alguma maneira.

Precisamos falar sobre amizades tóxicas

Será que você é um bom amigo?

Com todos movimentos feministas, empoderamento feminino tem se falado bastante de relacionamentos abusivos, mas e quando esse relacionamento é com um amigo?

Você valoriza seu amigo de verdade ou apenas quando ele está abaixo de você?

Desde que me conheço por gente tenho conhecido diversas pessoas que se sentiam bem a custa de diminuir o outro. E não estou falando daquelas criticas veladas ala patricinhas de beverley hills ou meninas malvadas. Estou falando daquelas pessoas que super valorizam características próprias, opostas as suas.


No ensino médio tinha uma neura com o meu cabelo, era foda — e não no bom sentido — ter cabelo cacheado.

Pouco mais velha, passei a ter neura com peso (na época tinha peso normal, quase sobrepeso) minhas colegas vestiam no máximo jeans 40, e isso era demais a elas, imagina para mim num jeans 42 ou 44? (Detalhe, 42 e 44 em padronagem que hoje apresentam como 38 e 40)


Agora a neura saiu do peso (irônico que estou mais de 20 quilos acima do ideal, consequências pós cirurgia, naquele tempo meu corpo era perfeito) mas passou ao fato de eu não parecer tão atraente quanto outras pessoas.

A culpa dessa ignorância quanto o que é beleza ou não está nas revistas, sites de moda, passarelas? Não sei, mas também não me importa. Eu escolhi me preferir, me proteger, me escolher e acima de tudo pensar na minha saúde mental primeiro. Cansada de deixar que pessoas ditem regras sobre o que é perfeito no meu corpo. Cansada de amizades tóxicas que não me valorizam.

Você precisa de um amigo ou de alguém para torturar? Quais gatilhos emocionais você puxa quando diminui alguém, o comparado a si mesmo ou a outros?

  • Pity Party — Melanie Martinez