uma geração de covardes que precisam provar a felicidade aos outros

Infelizes com a sua singularidade

É o fim, não combinamos mais, acabou, nosso prazo de validade venceu e aos poucos os problemas estão exalando por toda parte como um alimento estragado na geladeira.

Não, eu não tenho ninguém, eu respeito cada partícula do que você é, e acima disso, respeito o meu caráter a ponto de não acreditar correto te enganar com outra pessoa. Não, essa pessoa não existe, não estou acabando tudo para ficar com ele, você foi muito importante na minha vida e agora só preciso me importar comigo mesma, não tem espaço para qualquer nós.

As pessoas vão comentar, é claro. cadê o namorado? Terminamos. Não está namorando ninguém? Não, estou sozinha. Que pena, ele te trocou por outra? Não, absolutamente não, eu apenas nos troquei por mim mesma!

Eu não preciso de ninguém a meu lado para provar que posso ser feliz, eu sei que sou minha melhor companhia e se alguém quiser fazer parte disso vai ser bom, mas não vai ser o fim do mundo se ele partir ou eu o deixar. Eu não preciso ser como uma geração de covardes que precisam provar a felicidade aos outros, não vou te trocar por outra pessoa, como um bando de pessoas infelizes com a sua singularidade.

Não preciso largar você e desfilar por ai com outra pessoa, posso simplesmente desfilar por ai como uma pessoa que sabe que a vida muda e certas pessoas ou situações passam.