Quem é esse Microlearning na fila do pão?

No mundo em que vivemos o recurso mais valioso é o tempo. Hoje não podemos tomar decisões sem levar em conta o quanto de tempo vamos investir com uma decisão, quanto tempo será economizado e até mesmo quanto tempo ganharemos com isso. Trazendo essa realidade para as interfaces, acredito que o conceito de “não fazer o usuário pensar” motiva o profissional de UI/UX a pensar com maior cuidado sobre o tempo empregado para uma boa experiência, seguindo estas premissas, percebo uma quantidade de apps e sistemas utilizando o recurso do microlearning.

Dá pra aprender um conteúdo enquanto você está numa pausa forçada como: metrô, engarrafamento, fila da padaria…

Mas o que é esse tal de micro-learning? Como o próprio nome sugere, são pequenas doses de aprendizado que podem ganhar a forma de texto, vídeo, imagens e outras mídias alinhadas com o contexto de cada aplicação. Ultimamente o mercado de ensino a distância tem utilizado com maior ênfase esse método que comprovadamente ajuda na retenção de informação gerando aprendizado sem que haja grande esforço de concentração e cognição.

Podemos citar muitos exemplos de aplicativos que se valem do micro-learning como: Asana, Slack, Duallingo e outros. Queria destacar o último como o que deixa mais evidente o conceito de aprendizado por pequenas doses, mas pra mim é difícil não abordar mais profundamente o SLACK.

Para os menos conhecedores, o Slack tem a finalidade de promover uma integração maior entre os membros de um time num projeto. Oferecendo a funcionalidade de separar as pautas em projetos e dentro destes, abrir canais conforme o contexto do mesmo pra que as discussões sejam mais direcionadas e produtivas possibilitando insights e assim por diante. Como todo software que é utilizado pela primeira vez ( na verdade nem todos ;) ) sempre tem um onboarding para apresentar as funcionalidades ENSINANDO o usuário a entender melhor as funcionalidades da interface, o Slack utiliza o método do micro-learning para apresentar estas funcionalidades, com pequenos textos e de maneira bastante interativa e próxima do usuário que se assemelha a uma conversa informal com um ser humano.

Exemplo de aprendizado utilizando microlearning no onboarding do Slack.

Para os profissionais de UI é essencial ter sensibilidade para saber aplicar este método, é de conhecimento da maioria que nem todos os projetos darão a oportunidade de utilizar o micro-learning mas é altamente recomendável pensar a respeito sempre que possível.

::: Onboarding é diferente de Microlearning :::

Parece bobo mas existem profissionais que confundem o aprendizado por pequenas doses com o onboarding (que falarei em outro post) e acho que se você leu até aqui, já deu pra perceber que são coisas completamente distintas. Então nada de trocar as bolas por aí certo? ;)

Esta foi uma partícula minúscula do que se pode aprender sobre micro-learning e seu uso nas interfaces, no final deste artigo deixarei as referências que recomendo fortemente uma visita. Aguardo vocês numa próxima oportunidade e Espalhe a Palavra!

Everaldo Junior
UI Designer / Genexus UI Designer
linkedin.com/in/juniorseixas

Consultorias: everaldo.seixas.junior@gmail.com