Insights Excêntricos

No domingo dia 14/05 o Evolurindo promoveu o workshop Princípios Excêntricos com o Avner Eisenberg em Porto Alegre. Para quem não sabe, o Avner é um dos maiores palhaços de todos os tempos (!). É como se tivéssemos tido um workshop de futebol com o Pelé. Olha aí uma parte do show dele:

Avner O Excêntrico

Por uma sincronicidade e generosidade do universo, conseguimos trazer ele para Porto Alegre para um workshop curtinho, foram só 6 horas, mas com muito aprendizados. Compartilhamos aqui alguns insights que tivemos em razão dessa vivência, acreditamos que tais aprendizados se estendem além do universo do palhaço. Algumas fichas começaram a cair desde então:

Não saia da sua zona de conforto. Amplie sua zona de conforto.

O Avner apresentou essa máxima ao relatar que um dos principais trabalhos dele como professor de outros atores é sobre o medo. Que por vezes ele nem compreende o motivo de algumas pessoas quererem performar diante de tanto medo que sentem. E o que era para ser engraçado, se torna apenas um show de pessoas com medo. O ator tem medo e a plateia tem medo. Assim, segundo ele, o ator deve estar na sua zona de conforto para performar.

Essa imagem acima é uma das que mais circulou pelo mundo da internet nos últimos tempos. Nos indicando que a magia acontece fora da nossa zona de conforto. Só que esqueceram de avisar que muita merda também acontece quando saímos da nossa querida zona de conforto.

Acreditamos que essa questão trazida pelo Avner reflete bem a busca constante pelo equilíbrio, o caminho do meio. Não precisamos nos acomodar e fazer somente aquilo que está na nossa zona de conforto, mas também não precisamos nos atirar a la loca em busca de experiências que nos aterrorizem acreditando que assim vamos evoluir. Podemos ir tentado coisas novas aos poucos, um passo de cada vez, e ir expandindo esse universo no qual nos sentimos confortáveis. E o mais legal de tudo: cada um tem seu tempo!

Várias fontes indicam que um dos problemas das resoluções de ano-novo é que tentamos mudar radicalmente várias coisas numa tacada só. Acreditamos que com foco e disciplina vamos conseguir mudar radicalmente nossa vida — e queremos que isso aconteça, preferencialmente, até o fim do mês de janeiro. Já as pessoas que conseguem promover transformações em seus hábitos, são aquelas que (via de regra):

· Buscam modificar um hábito de cada vez;

· Sabem que é um processo com altos e baixos;

· Não desistem depois da primeira escorregada.

Nós conhecemos algumas pessoas com essa mentalidade “tudo ou nada”, e é um mindset que precisa ser mudado. Feito é melhor que perfeito. E pegando mais um clichê: O ótimo é inimigo do bom. Isso nos lembrou outra imagem que também circulou demais pela internet, e que parece fazer mais sentido sob essa ótica:

Sucesso: o que as pessoas pensam que é / como realmente é
Para ser interessante precisa se mostrar interessado.

O Avner indicou que, em sua experiência, o maior medo que um ator pode sentir é o de não ser interessante. Acreditamos que isso também nos guia cotidianamente, o medo de não sermos bons o suficiente. E para ser interessante, vocês precisa estar interessado naquilo que você se propõe a fazer.

O quanto passamos nossos dias no automático, sem estarmos conectados com aquilo que estamos fazendo? Quantas vezes queremos que os outros nos reconheçam por algo que fizemos, sendo que no fundo estamos fazendo aquilo sem prazer nenhum? O quanto nos mostramos interessados pelo cotidiano?

Se continuarmos levantando mais questões, rapidamente chegaremos no “qual o sentido da vida?”. Mas é bem por aí mesmo…

Podemos relacionar essa questão do interesse também ao estado de flow. Na psicologia positiva, o flow é aquele estado em que estamos tão absortos em uma atividade que perdemos a noção do tempo. Ficamos tão concentrados, e, por consequência, interessados no que estamos fazendo, que nada mais importa, e o tempo parece voar.

O estado de flow entre a ansiedade e o tédio, considerando o desafio x a habilidade

Experimentamos esse estado nas mais diversas atividades: escrevendo, dançando, pintando, jogando, conversando com aquele amigo especial. Quanto mais nos concentramos no aqui e agora, com atenção plena, maiores as nossas chances de realizarmos nossas atividades em flow. Algumas lendas dizem que existem alguns tipos de pessoas que entram em flow lavando a louça (ainda não vimos essa espécime ao vivo).

Meditação ajuda muito. Exercitar o palhaço também :O)

Tudo é um problema a ser resolvido.

E como você define o problema define as regras que você usará para resolvê-lo. O clown, na visão do Avner, é um grande solucionador de problemas, claro que sempre da forma menos óbvia e racional possível. E cada solução que ele encontra traz consigo um novo problema.

Não parece a nossa vida?

A gente não podia deixar de usar a imagem a seguir para ilustrar esse tópico:

Tudo é um problema a ser resolvido.

Para quem curte temas como produtividade existe outra máxima que pode ser correlacionada a esta: não existem problemas, existem projetos. Um problema nada mais é do que um projeto que ainda não foi esclarecido e destrinchado em ações que levarão a sua solução.

Isso tudo é de uma simplicidade e uma profundidade, não é mesmo?

E vocês achando que a gente aprende a fazer “glu glu ieh ieh” em cursos de palhaço.
Lembrem-se que nada é uma verdade absoluta.