Se permita sentir

Não é novidade pra quem convive comigo que eu sou uma pessoa sensível demais. Daquelas chatas que tu tem que cuidar o tom de voz se não já me deixa chateada. Eu não tenho máscaras, quando eu tô puta com algo e tento ficar plena a única coisa que sai de mim é uma cara emburrada. Quando eu me animo muito com algo eu falo alto. Se eu gosto da música que ta tocando eu canto/danço (as vezes isso acontece independente do lugar). Quem foi que impôs essas regras de que temos que ser controlados para que a gente pareça forte? Eu choro muito, por qualquer coisa, e não diria que isso me faz fraca. Guardar as coisas dentro de nós faz mal pra nossa saúde mental e a nossa mente é nosso lar. Se desprende dessa paranóia de que quem demonstra perde.

Isso serve para relações

Relações amorosas, amizades, familiares, tudo isso exige demonstrações e reciprocidade (não controle). Se a gente começar a largar de mão todos os joguinhos e manias de hoje em dia, tudo pode acontecer. Quem foi que disse que se eu mandei a última mensagem não posso mandar a próxima? Que a gente não pode se encontrar numa segunda-feira? Que ficar horas numa chamada é ruim? Que eu não posso mandar áudio/texto muito longo? Quem foi que disse que as pessoas não gostam disso? Se a pessoa quiser falar contigo, gostar da tua companhia, ela não vai reclamar de excessos. Se nada disso acontecer, o que ela vai sentir vai ser falta e quem gosta de ti não quer sentir tua falta. É simples e a simplicidade encanta. Então sinta (e demonstre) mais. Faz que nem o Ted de HIMYM e diz que ama alguém no primeiro encontro. Chuta o balde. As melhores coisas acontecem quando a gente simplesmente deixa elas acontecerem. Não sabota a tua própria felicidade.

“Ninguém perde por dar amor. Perde é quem não sabe receber.” (Autor desconhecido)