Menina Mutante

Esperei quem mandou não esperar
Ditei minhas regras
Mas ela me fez quebrar
O sorriso dela me alegra

Eu queria amarrotar a roupa
E com beijos deixar-la louca
Mas ela estica o braço 
Pega no meu colarinho e dá um laço

Menina mutante
Com coração gigante
Que cabe dois amores
Mas que causa dores

Com todo pesar
Que tenho que matar
As esperanças de amar
O pedido foi dela, eu só vou concordar

Mas, esperança morre
Nos faz sonhar sem sonho
Vou tomar meu porre
Esquecer do coração e de onde o ponho

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Djalma Melo’s story.