A Princesa do Fogo

Crônicas Peculiarmente Desconhecidas — Os Gêmeos — Conto 3


Querido leitor,

A história que irá ler foi escrita apenas para olhos peculiares. Se, por acaso, você não pertence à estirpe dos anômalos (em outras palavras, se você nunca acordou misteriosamente do lado da lareira, nunca se apaixonou trocando cartas transmitidas por corujas ou nunca se pegou codificando segredos em línguas exóticas, entre outras bizarrices), então, por favor, pule esta sessão, apague-a de sua memória e a esqueça. Não se preocupe, você não vai perder nada. Tenho certeza de que, caso lesse estas histórias, apenas as acharia estranhas, aflitivas e nem um pouco de seu agrado. Além do mais, elas não são de sua conta.

Agora, se você é daquela classe peculiarmente desconhecida (e, se leu até aqui, espero, sinceramente, que seja), lembre-se que essas histórias são portadoras de um conhecimento secreto. Afinal, são mensagens codificadas e enigmas bem particulares. Você pode encontrar localizações de abrigos escondidos, portais do tempo, a identidade secreta de certos personagens importantes e outras informações úteis para a sobrevivência de um peculiar neste mundo hostil. Então, por favor, aproveite este conto, — de preferência no silêncio de uma noite fria com o calor de uma lareira ascendida com as próprias mãos, ou nos momentos iniciais daquela mais linda jornada rumo à uma ilha no meio do oceano — , mas se lembre do caráter delicado de seu conteúdo, e, se for os ler em voz alta (coisa que recomendo fortemente), que seja para um público de peculiares.

Muito peculiarmente,

O escrivão.


Conto 1 — A Semente (clique no link para acessar)

Conto 2 — A Bruxa (clique nos link para acessar)


Querido viajante,

As palavras a seguir vão lhe mostrar um dos relatos mais recentes que um dos gêmeos escreveu. Sua data se aproxima de uma Noite 2 de um Ciclo Lunar e do Sol 451 daquele ciclo anular. Mas, segundo os registros e sua forma de escrita, a carta que lhe será apresentada, foi escrita momentos antes do casal de gêmeos descobrir um dos maiores segredos de seu tempo. Essa história, entretanto, é assunto para outra hora.

Então abaixo, querido leitor, lhes apresento mais uma personagem:

A linda Agromassi.

Por fim, só mais um lembrete: Todas as palavras foram traduzidas e descodificadas de uma língua a muito tempo perdida. Uma língua que dentre as muitas, apenas os gêmeos utilizavam…

Coruja de Nides & Alenquint (Google — Imagem ilustrativa)

Por volta do ano 3000¹ — na contagem de alguns — os gêmeos estavam assando por uma das fases mais complicadas de suas existências. Estavam em meio as pesquisas de campo, experimentos malucos e estudos intensos. De acordo com alguns pergaminhos que dão ideias sobre o calendário, foi nesta época que os gêmeos conheceram as maiores peculiaridades daquela terra:

A Semente, A Bruxa e a linda Agromassi, que traduzida para a nossa língua, a expressão mais próxima seria:

Princesa do Fogo.

Esta princesa, nada comum, era um pouco mais nova que os gêmeos e pertencia à uma das famílias mais belas e poderosas da época. Seu palácio, monstruoso, foi construído na boca de um vulcão e levava um nome bem similar ao que conhecemos. “Vulkar” como era chamado, possuía 51 cômodos construídos e uma grande cripta que armazenava todo poder vindo do interior do vulcão. Construída com a ajuda dos primogênitos, a grande construção era ideal para a elaboração de magias de fogo e perfeita para o nascimento de seres geniais. A mais nova deles, Agromassi… era uma garota - que na idade que os gêmeos a conheceram - se aproximava de seu 16° ciclo anual.

Agromassi (Google — Imagem ilustrativa)

Mais alta que as guerreiras daquele mundo, era mais bela que qualquer outra princesa conhecida pelos irmãos e mais inteligente que a maior parte de seu reino. Tinha longos cabelos hora em tons avermelhados, outras em um branco gélido e encantador; lindos olhos cor Apofilita e um sorriso hipnotizante². Seus poderes vinham direto da mente, mas eram exteriorizados por suas fisicalidades. Os cabelos poderiam ser utilizados para prender algum inimigo e queimá-los como ela desejasse, enquanto seus olhos, preenchidos pela essência mágica proveniente do interior da montanha, conseguiam transformar qualquer ser em rocha vulcânica. E seu sorriso, hora sereno como o magma e outras destruidor como a lava, atingia qualquer um que se deixasse levar pela sua beleza magnifica…deixando a “presa” totalmente paralisada, mas ao mesmo tempo consciente, presa…dentro de sua própria mente.

Com todas essas peculiaridades, é fácil imaginar como os gêmeos logo ficaram encantados com a Princesa do Fogo. Quando a conheceram, ela estava em um dos templos mais procurados da região. As suas portas se abriam uma vez por ciclo anular e permaneciam assim durante 4 ciclos solares. Em uma dessas oportunidades, os gêmeos — que eram convidados especialmente pelos Reis do Templo — passaram os quatro ciclos estudando, debatendo e aprendendo os mais diversos assuntos. Chegaram até a batalhar com outros seres peculiares, na intenção de obter mais poderes e habilidades, pensando sempre em como aprimorar suas técnicas para sobreviver naquele mundo hostil. O que eles não perceberam é que entre aqueles mais bizarros seres, havia um, tão poderoso quanto todos os outros, mas que insistia em se esconder nos fundos dos salões e apenas observar tudo que acontecia. Agromassi, em si, não gostava muito de interagir. Tinha medo de não ser compreendida ou ser repreendida por seus pais, que do Vulkar pouco deixavam a bela princesa sair.

Templo Uonn Cipium (Google — Imagem Ilustrativa)

Então, passado o grande evento, os gêmeos retornaram a uma de suas muitas residências. Estavam cansados e necessitavam de descanso. Afinal, aquele ciclo anual estava se encerrando e eles sabiam que precisavam estar preparados. Já estavam no mês 50, e o sol parecia girar cada vez mais rápido em torno de sua própria órbita. Parecia o ciclo perfeito para surpresas, uma vez que eles eram poucas vezes surpreendidos.

E elas vieram.

Em um das das excursões que deu para sua coruja favorita fazer, o gêmeo peculiar recebeu uma encomenda muito especial. Em seu interior havia inúmeras cartas, enviadas por vários seres que estiveram presentes no evento especial do templo. Entre essas cartas, uma…vinda diretamente de Vulkar. Assustados e surpreendidos, os gêmeos atentaram-se apenas em ler. Decifrar todos os códigos e estudar sobre aquele povo. A carta em si, por ser em uma língua completamente desconhecida, aparentemente se perdeu com tempo. Mas se sabe, que era endereçada exclusivamente ao irmão.


Querido leitor,

Todos os estudos feitos pelos gêmeos na tentativa de descobrir os segredos daquela carta, daquela Princesa e daquele povo, duraram muito tempo. Os sábios que sabiam da história e a registraram, explicam que o irmão demorou mais de 2 ciclos anulares — depois do recebimento da carta - para fazer contato direto com a Princesa. Das poucas vezes que trocaram mensagens codificadas, era possível perceber uma intensidade entre os dois diferente das outras conexões. De alguma maneira, os sábios diziam, eles pareciam destinados a ficarem juntos. As semelhanças eram diversas, os gostos similares e a simplicidade de suas sintonias era angelical...Divina. Portanto, quando o irmão resolveu finalmente mandar uma coruja para Agromassi, os dois logo se viciaram. Trocavam cartas e mensagens codificadas o tempo todo e estavam cada vez mais encantados. Porém, havia um problema. Aproximadamente quatro ciclos anulares antes de se conhecerem, a Princesa do Fogo tinha sido destinada por seus pais ao capitão do exército de seu povo. Os dois eram felizes, aparentavam ser apaixonados e poder viver juntos pelo resto de suas vidas.

Palacio de Vulkar (Google — Imagem ilustrativa)
Porém, aquele mundo era preenchido de mistérios. Dentre eles, um, vindo diretamente do fogo. O que ninguém sabia era que os primogênitos haviam escondido um grande segredo no 43° quarto do Palácio Vulkar. E aquele segredo estava prestes a ser descoberto.

Para encerrar este relato, venho lhe alertar, querido leitor, que os gêmeos gostavam de… desaparecer em certas ocasiões. Quando era conveniente, mandavam uma carta em tom de despedida aos seus conhecidos e saiam mundos afora, aproveitando o poder de teletransporte que a irmã havia geneticamente herdado de sua mãe. Portanto, em uma dessas ocasiões, o irmão enviou sua coruja favorita em uma expedição muito perigosa. A missão daquele animal peculiar era entregar uma carta de despedida aos seres mais especiais que o garoto conhecia. Entre eles, a Princesa do Palácio Vulkar. A reação de Agromassi, vale ressaltar, foi muito intensa. Ela ficou confusa, triste e na esperança de que pudesse um dia voltar a se comunicar com aquele garoto misterioso.


Demorou, mas esse dia chegou. O momento chegou. De acordo com a data deixada pelo irmão, o contato foi feito aproximadamente 1 ciclo anular depois da despedida. Suas palavras, cheias de códigos, carregadas por sua essência mágica, e preenchidas pela saudade foram traduzidas de geração em geração, até chegar em minhas mãos. Com muito trabalho e pesquisas, consegui finalmente deixá-la com a melhor interpretação para os nossos tempos. Aproveite então esta carta. É a oportunidade perfeita para conhecer algumas peculiaridades do garoto agogo e da estonteante Princesa de Fogo.³


Dool’Goah — Wallhash — 15/15/3000
Querida Jide Alenquint,
Há muito tempo não nos falamos. Desde minha última coruja que não temos muito contato, por isso estou lhe mandando esta carta.
Primeiramente eu e minha irmã gostaríamos de nos desculpar. Sabemos que não é muito digno sumir durante tanto tempo, mas era muito necessário. Aprendemos muita coisa, conhecemos seres incríveis e descobrimos segredos milenares. Foram inúmeras experiências e descobertas que nos trouxeram infinitas respostas. Gostaria muito de poder compartilhar com você, mas ultimamente as corujas têm errado o caminho, e não seria nada legal se esses segredos caíssem em mãos erradas, não é mesmo? Esta carta está muito bem codificada — até minha irmã me ajudou nisso, você acredita? -, mas não é bom arriscar. Há muitos espiões espalhados no reino, loucos para conseguirem interceptar alguma de nossas mensagens. Mas fique tranquila, nada de ruim irá acontecer.
Jide Alenquint (Google — Imagem ilustrativa)
Como estão as coisas no reino do fogo? Ficamos sabendo que você entrou para um dos maiores clubes de magia visual. O que está querendo com isso, Princesa? Já não basta todos os poderes que sua mente te proporciona, agora quer mostra-los através das mãos também? Outro dia vimos da Torre Sul uma espécie de dragão, cuspindo fogo pra todo lado. Não me diga que isso foi obra sua! Se foi, tenho um conselho: Não faça mais isso! Minha irmã ficou horas tentando capturar alguma labareda de fogo, para depois fazer experimentos malucos no fundo da mansão. Você não sabe o quanto isso me deu trabalho!! De toda forma, ele era lindo e extremamente poderoso. Fiquei até com vontade de controla-lo mentalmente e transformar aquele ser em meu animal de estimação! Mas não fiz isso. Acho que a Alhaí ³¹ não ia gostar muito e alguma coisa me disse que ele precisava voltar pra casa.
Além dessas surpresas, como está o relacionamento com o almirante? É, eu sei. Você odeia que eu o chame assim, mas é a verdade, não é? Vocês ainda estão juntos? Ou você já aceitou o fato de que ele é apenas um passa-tempo? Por falar em tempo, quero lhe fazer um convite. O que acha de irmos para a fazenda além do oceano, ou a nossa ilha particular?
Podemos acordar sem os lençóis, e comer capricórnios marinhos no jantar! Meu Deus! Que saudade disso! Você se lembra de quando pulávamos na Alhaí e andavámos milhas e milhas, até chegar em Nakos? E quando atravessávamos o oceano em direção à Fort’du Satar, você abria o mais lindo sorriso? Felizmente você não conseguia me paralisar, porque se conseguisse, pode ter certeza que retornaria a estes momentos o tempo todo. Enfim…podemos fazer o que quiser. Aliás, você merece o mundo querida Alenquint, e eu vou dar tudo isso pra você. Dentre os inúmeros artefatos que encontramos, um deles reservei especialmente pra ti. Já ouviu falar em omblaus ? Brilha tanto quanto ouro!
Se você quiser, podemos ir para a mansão na montanha…Adormecer ao lado da lareira, beber Sangria da Lua²³, ir para um dos quartos escondidos e acordar apenas quando o eclipse chegar. O que quero dizer, é que se você disser que quer curtição, eu te levo para onde quiser. E podemos fazer o que tiver vontade. Aliás, você pode ser minha…todinha! Como sempre sonhamos. Eu nunca lhe farei uma promessa que eu não possa cumprir, Alenquint, mas prometo que você vai sorrir. Podemos treinar juntos na Floresta de Sarip. Prometo que te farei a Princesa mais feliz, e que nunca vai partir.
Agora, me diga: quem é a mais bela? A que eu sempre admirei, a que nunca compreendi, mas a que eu mais senti? É só falar que nós vamos. Podemos atravessar mundos, criar portais, escrever manuais de poções, criar magias de fogo. Podemos ser doidos…o quanto quisermos. Juntos. Pelo tempo que tivermos.
Agora, me diga: quem é a mais bela?
Com carinho, do seu querido
Nides.”

Sim, querido leitor. Depois de muito tempo, de ler muitos pergaminhos perdidos, livros antepassados, viajar a lugares exóticos e conversar com os mais diversos sábios, consegui traduzir o nome do gêmeo. Sua origem é desconhecida, ainda. Vale dizer, que todos os nomes daquele mundo eram escritos em línguas e alfabetos completamente diferentes do que usamos. Por isso são esquisitos e aparentam ser difíceis de se pronunciar. Mas não se preocupe, estamos trabalhando intensamente para lhe auxiliar nesta difícil missão.

Por fim, não poderia deixar de dizer, que a coruja que Nides enviou à Princesa do Fogo, ou melhor, Alenquint, chegou com sucesso à Volkar. Foi recebida com muito carinho e de acordo com o mito, ela aceitou um dos convites do garoto peculiar e deixou o Palácio do Vulcão por ciclos e ciclos. O tempo certo que permaneceram juntos, nunca foi descoberto.

Mas, o que se sabe é: Que o 43º quarto de Volkar sempre fora trancado, e que foi a coruja de Nides que quebrou o encanto, revelando todos os segredos daquele cômodo.

Quais são os segredos?

Apenas a coruja sabe.

Para nós…continua um mistério.

Notas do autor:

¹ — O calendário usado na época desta história é muito complexo e bem codificado pelos sábios que o criaram. Sabe-se que naquele momento, a contagem se aproximava de 3000 ciclos anulares. Considere cada ciclo anular como a união de 60 meses. De acordo com o calendário de Nides, (acesse: “A Bruxa” para saber mais) cada mês é a união de 31 noite lunares.

² — A cor de seus cabelos se baseava unicamente no humor de Alenquint; Apofilita, foi a tradução mais próxima que encontramos para indicar a tonalidade de seus olhos. Em nosso mundo, representa um mineral geralmente verde; Agromassi constantemente utilizava uma espécie de máscara, para esconder seu sorriso e não paralisar todos a sua volta. Depois de controlar seus poderes, continuou usando o acessório, mas como estratégia de batalha.

³ — A tradução e data mais próximas de “Dool’Goah — Wallhash — 15/15/3000” na nossa língua, seria: “Belo Horizonte — Sexta-Feira— 24/03/2017”.

³¹ — Depois de muito analisar, chegamos a conclusão que Alhaí seria o nome do animal peculiar que os pais dos gêmeos lhe deixaram como herança. Você se lembra dele? (Conto 2 — A Bruxa)

²³ — Nos dias e no mundo de hoje, o material mais próximo de “omblaus” seria “diamantes”. Enquanto “Sangria da Lua” seria “champagne”. É claro, que devida a todas as magias e misticidades daquele mundo, não é possível fazer qualquer comparação.


| Escrivão | Fábio Mesquita Pinho

| Serie | Crônicas Peculiarmente Desconhecidas

| História | Os Gêmeos

| Conto| A Princesa do Fogo


Acesse o perfil do Excelsior no Facebook e veja mais histórias como esta!

Se você quiser saber mais sobre a história deste folclore, que envolve contos peculiares, vou lhe deixar um link para navegar nessas águas desconhecidas. As referências que uso durante a apresentação inicial, fazem parte de um livro: “Contos Peculiares” de Ransom Rigs. Abriu a minha mente e me fez perceber que histórias bem contadas podem mudar completamente o seu dia. Por outro lado, todos os contos peculiares da página são de autoria própria. Espero, portanto que está serie possa ser companheira fácil em suas viagens e aventuras, desse modo se revelando tão útil para você como foi para mim. Então, se você é um dos que ficou até o final, deixe nos comentários sua opinião. Pode ser uma mensagem codificada, um enigma secreto ou uma língua perdida a tempos. Não importa, ajuda muito no nosso trabalho!

Like what you read? Give Excelsior a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.