Lênin e a defesa do Dia Internacional das Mulheres Trabalhadoras

“Nenhum partido ou revolução no mundo jamais sonhou em cortar tão profundamente as raízes da opressão e da desigualdade das mulheres como o soviético, como a Revolução Bolchevique está fazendo. Aqui, na Rússia Soviética, não sobrou nenhum rastro de desigualdade entre homens e mulheres perante a lei. O poder soviético eliminou por completo o que havia na desigualdade particularmente repugnante, básica e hipócrita existente nas leis do matrimônio e da família e a desigualdade em relação às crianças.

Este é só o primeiro passo na libertação da mulher. Mas nenhuma das repúblicas burguesas, incluindo as mais democráticas, se atreveu a dar nem sequer o primeiro passo. A razão é o respeito à ‘sacrossanta propriedade privada’.

O segundo e mais importante passo é a abolição da propriedade privada da terra e das fábricas. Isso, e somente isso, abre o caminho para a emancipação completa e efetiva da mulher, sua libertação da ‘escravidão doméstica’ através da transição do mesquinho trabalho doméstico individualizado para serviços socializados de larga escala”. (V. I. Lenin, 1921)

Trecho do texto publicado no livro “As origens e a comemoração do dia internacional da mulheres” de Ana Isabel Alvarez González

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.