This story was written as an academic paper during TU Delft's Msc Design for Interaction (December 2018).

Abstract

The recent development of artificial intelligence has not only increased the presence of chatbots and personal assistants in people’s lives but also created new types of human-robot interactions. One of these is enabling an AI system to communicate with another human in the user’s behalf, as demonstrated by Google’s new assistant called Duplex. Google Duplex is able to call determined businesses over the phone and arrange appointments for its user while sounding so similar to a human that the recipient might not presume…


Também conhecidos como “aquelas viseiras de cavalo”

Este foi um projeto acadêmico realizado em 2012 durante o curso de Design da PUC-Rio, junto com os colegas Ana Luiza Braga, Hanna Gutwilen, Matheus Stone e Vidi Descaves.

A gente compra umas paradas muito loucas

Algumas são obviamente bem bizarras — mas essa é só a ponta do iceberg.


Conectando cegos e videntes num mesmo jogo

Este foi um projeto acadêmico realizado durante o curso de Design da PUC-Rio, junto com meu caro colega Matheus Stone (portfólio).

Contexto e motivação

Deficientes visuais contam com uma oferta limitada de jogos. Existem adaptações de clássicos como xadrez e baralho, mas quase nenhuma de jogos contemporâneos. Dessas, menos são aquelas que permitem a interação entre cegos e videntes.


Uma análise da comunicação visual da ficção fantástica (Parte 2)

Previously on Lost…

Sou designer e escritor, e esta é a segunda parte do trabalho que embasou o projeto gráfico do meu livro e meu TCC em Comunicação Visual.

Se você ainda não leu a primeira parte, que tal descobrir quais são os padrões mais recorrentes nas capas de fantasia?

Se você já leu ou é simplesmente teimoso, siga adiante ;)

Padrões das capas de fantasia

Se eu aprendi alguma coisa categorizando as capas de 100 livros de fantasia, foi isso:

Capas de fantasia gostam de revelar seus elementos fantásticos. Se a história tem dragões, pode apostar que tem dragões na capa.

Capas de fantasia…


Uma análise da comunicação visual da ficção fantástica (Parte 1)

Sabe aquela brincadeira “pense numa ferramenta e numa cor”? É claro que você sabe, porque todo mundo já brincou disso. E todo mundo respondeu “martelo vermelho”.

Pois bem. Vamos fazer algo diferente dessa vez:

Pense na capa de um livro de fantasia.

E aí? Sua capa tinha um dragão? Uma espada? A paisagem épica de um castelo? E o título tinha uma fonte meio medieval?

Não posso provar que as pessoas pensam em capas parecidas (ainda não fiz esse experimento), mas apostaria minhas fichas nisso. …

Felipe Pierantoni

UX Designer // MSc Design for Interaction student at TU Delft

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store