Um dos porquês do suicídio

Muito se tem falado sobre o suicídio, principalmente entre os jovens, depois do aparecimento da série do Nexflix, 13 reasons why. Como o assunto é um muito complexo, propomos um início de conversa.

É comum pessoas depressivas terem pensamentos suicidas, porque sentem um profundo descontentamento com a vida. Como terapeuta, costumo analisar a fase da vida que a depressão e a desmotivação iniciou. Na maior parte das vezes, observo que a depressão é instalada em momentos de alteração de ciclo. O que acontece é muito simples: a pessoa erroneamente acredita não estar preparada para novos desafios. É como se, de repente, ela recebesse um saco de responsabilidades no colo e, em vez de procurar esvaziá-lo, ela fica imobilizada pelo peso das novas obrigações.

Como a juventude é uma fase muito desafiadora para a maioria das pessoas, por ser um período de grande procura por quem se é e qual o lugar na sociedade a ser ocupado, qualquer acontecimento ruim pode parecer o “fim do mundo”. Os novos desafios aliados a uma grande preocupação com os julgamentos dos outros, o bullying, e a falta de aceitação contribuem para uma sensação de não pertencimento, que coloca o jovem em uma posição de isolamento e confusão. Alguém que está se sentindo incapaz de resolver tanta coisa, pode não suportar tal demanda e enxergar na morte a única saída.

Talvez uma das razões para a grande repercussão de 13 reasons why entre os jovens seja o eco encontrado para esse sentimento de fardo e inadequação. Por isso é tão importante o olhar dos pais e cuidadores, especialmente durante a passagem da adolescência para a vida adulta. Na adolescência ainda não existe a maturidade emocional, apesar de já existir certa independência na gestão da vida. Os jovens ainda precisam ser orientados e amparados, para que se sintam capacitados a dar o grande salto para a vida adulta. Precisam ser direcionados para os porquês da vida, e não de uma morte antecipada.