E se…
E se um dia realmente nos encontrarmos, numa casa, num sítio, num abrigo qualquer… você vai lembrar que um dia cogitou comigo ficar? Mas que depois de falar, deixou que um caso antigo, meio bandido, tomasse meu lugar?!
E se um dia eu te ver, num bar ou na TV, será que ainda vou lembrar que eu já fui a emoção, mas que você escolheu a razão? Ou será que já terei esquecido que a minha emoção surgiu, emergiu e depois apenas fugiu…
E se… […]
One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.