um poema apagado num telhado qualquer

“se poesia é o que se perde na tradução, que arte foi essa que o tempo fez ao transcrever a tua existencia na minha?”