Você prefere “codar” sozinho ou discutir suas soluções em grupo?

Image for post
Image for post
Photo by Annie Spratt on Unsplash

“Ideias não nascem prontas. Os debates são essenciais para aprimorá-las, estimulando criatividade e inovação.”

Assim como uma ideia, um código dificilmente nasce em sua melhor versão. Um desenvolvedor sozinho tende a se contentar com a primeira solução ou a adicionar complexidade desnecessária.

Sozinho você será capaz de escrever um código que funcione, mas poderá “ignorar” boas práticas de desenvolvimento, aumentando custos com manutenção e chances de erros, principalmente em sistemas de maior complexidade. Sozinho, faltam referências e estímulos para otimizar o que foi escrito.

Coding é um processo interativo. Código bom precisa estar em constante processo de melhoria, sua otimização ocorre de forma incremental. O processo de otimização terá melhores resultados se feito em grupo, sendo estimulado a partir de discussões, com testes, experimentações e refactoring. …


Não é difícil encontrar desenvolvedores com histórias de boas ideias que não deram certo. Mas por quê?

Image for post
Image for post
Photo by Jefferson Santos on Unsplash

Comecei a desenvolver websites em 1999 e em 2000 tirei minha primeira ideia do papel: um website chamado ClickFest. A proposta era divulgar festas e a agenda de cinema da região onde morava. Detalhe: morava em uma cidade chamada Califórnia, no interior do Paraná, com aproximadamente 6.000 habitantes. O conteúdo do website abrangia uma região de 100 km, incluindo cidades “um pouco” maiores como Londrina e Maringá. Obviamente, não consegui muitos acessos (rs).

Não parei no primeiro fracasso como “dev empreendedor”. Nos últimos anos da faculdade (2004–2005) desenvolvi um sistema desktop para mediadores e conciliadores de juizados especiais. Depois, continuei desenvolvendo websites, mais adiante entrei na “era” dos aplicativos móveis, até que antes da Contabilizei, desenvolvi uma plataforma para criar sites móveis para bares e restaurantes. …


Tirar uma ideia do papel não é uma tarefa fácil e usar um MVP é muito comum, principalmente em Startups. Compartilho aqui nossos aprendizados, partindo de um MVP até chegar a uma plataforma B2B com mais de 10.000 clientes.

Image for post
Image for post

Quem olha a plataforma da Contabilizei hoje, não faz muita ideia do que foi e é feito no nosso dia-a-dia para atender mais de 10.000 clientes, processando mensalmente milhões em notas fiscais e impostos, gerando relatórios contábeis e abrindo novas empresas.

Em constante evolução, saímos de uma arquitetura exclusivamente monolítica para microserviços, usando tecnologias como: PaaS, Kubernetes e Serverless. Atualmente nossa plataforma é composta por:

  • +20 Aplicações PaaS (Java)
  • +50 Microservices (Java/Kotlin)
  • +40 Functions Serverless (NodeJs)

Sim, os monolitos ainda existem, mas estamos evoluindo nossa arquitetura…

Por que fazer um MVP?

O significado de MVP é Minimum Viable Product (Produto Mínimo Viável), ou seja, um conjunto mínimo de funcionalidades para validar e testar o mais rápido possível seu produto/ideia. …

About

Fábio Bacarin

Co-founder e former CTO da Contabilizei, mentor e consultor de startups e times de tecnologia.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store