Saravá

Saravá meu amigo!
Eram tantas as nossas diferenças
Que acabaram por se desencontrar
Convergiram-se
Transformaram-se
Se encontraram em semelhanças
Poeta camarada
Me encheste de esperanças
Tua prosa entusiasmada
Me inspira-me a mim
E a ti só me resta agradecer assim
Com mais palavras
Poeta da luz
Poeta dos fótons
Amigo fotógrafo
Tenho por ti amor de irmão
Mesmo que distante
Busco incessante
Em ti, a minha inspiração
A bênção poeta querido
Vá em frente
faças da luz o teu bico de pena
Seja poeta da rua
Poeta da cidade
Tua pele preta 
empoderada 
por trás de uma lente
Me deixa crente
Que viverás, algum dia
exclusivamente
E tão somente
Da arte