Antes ele do que …. os milhares que ele matou!

Fidel foi embora, graças a DEUS. Pela minha formação Cristã, nunca imaginei pensar assim de alguém, mas quando assistimos ditadores passarem desta para a me…(deixa pra lá), perguntamos como o mundo, em pleno século XXI ainda consegue ter este tipo de ser.

Os ditadores, e também os projetos (alguns aqui no Brasil recente), acreditam piamente que suas "loucuras revolucionárias" de fato transformarão a vida dos seus pares, ledo engano, cada vez mais que percebo que ainda existem políticos e cidadãos que acreditam que o Estado possa transformar algo, eu entendo que o mundo precisa de fato de um novo choque, não de civilizações, mas de revisão do que realmente é Democracia. Percebam que muitos ditadores ainda utilizam o conceito de Democracia para ludibriar o povo. Um pulinho na África explica tudo.

Hoje o sociólogo, Demétrio Magnoli, em sua coluna na Folha de São Paulo apresenta um artigo interessante sobre indicadores, e na verdade sobre as falácias dos ditadores. No artigo "Fidel e os malditos anuários" Demétrio comenta que "a Cuba pré-castrista tinha dados de saúde e educação tão notáveis quanto os atuais". Bom, na vida dos ditadores os discursos nunca combinam com a realidade, mas o pior, em um tempo onde a informação navega em ondas surpreendentes, ainda tem gente tida como "séria" que ainda acredita no discurso do ditador. Só pode ser fetiche!

Fidel morreu, antes ele do que eu e as milhares de vítimas que ele mandou para as valas dos seus porões, dos seus DOI-Codis ou de suas OBANs. Era um ditador que fez escola, e em muitos políticos latino americanos sua essência revolucionária assassina ainda está instalada, tudo depende do nível de educação e acesso à informação de uma sociedade para que essas essências não se manifestem.

Mas é assim, a história não perdoará Fidel, na verdade cobrará dele, e muito caro, logo logo veremos a fatura. Como também do projeto de caudilho de quinta categoria, Nicolas Maduro. Sim, aquele que conversa com a pomba rola achando que é Hugo Chavez. Só pode ser fetiche!

Agora que a Venezuela sentiu na pele o que é um Estado Democrático de Direito, eles começaram com o mimimi esquerdopata. Com a suspensão do país no Mercosul, a Chanceler venezuelana, Delcy Rodriguez grita "golpe de Estado". Golpe de Estado no Mercosul? Será que os dirigentes venezuelanos participaram do mesmo curso que a ex-Presidente Dilma Rousseff? O curso de pós-graduação em Goebbels, basta contar um mentira mil vezes que um dia ela se torna verdade, pelo menos para você.

Que semana… Nós brasileiros choramos a tragédia dos nossos atletas e jornalistas, nossos políticos aprontam na calada da noite, Fidel conheceu uma Urna e a Venezuela grita Golpe. E dezembro nem começou. 2017 está demorando para começar.