Como procrastinar menos: uma vida com menos culpa

Nos últimos tempos, um dos buzzwords que mais tem se movimentado pelo mercado é o termo “produtividade”. Para o dicionário Houaiss, os dois primeiros significados apresentados no verbete indicam “característica ou condição do que é produtivo” e “capacidade de produzir”.

Ou seja, simplesmente é algo relacionado a sua capacidade de realizar coisas da forma mais rápida possível e com eficiência máxima.

E normalmente é um tema sério e que costuma a ser tratado com muita seriedade.

E a tendência é de que justamente os textos sejam assim mesmos e que deixem seus leitores pilhados e ainda mais ansiosos do que quando entraram na página para adquirir informações para resolverem seus problemas.

Confesso que sou assim e presumo que, se você está procurando por esse tipo de material, a tendência é que você também seja.

Então preste atenção: fuja do overload.

Ficar horas a fio na internet em busca de artigos sobre produtividade não vai torná-lo mais produtivo. Pelo contrário.

Apenas siga o primeiro passo, que estou indicando agora:

Não se culpe, esse é o primeiro passo

O primeiro passo não serve para parar de procrastinar, mas para tornar a sua vida mais leve, menos cheia de culpa. E, com isso, talvez você ganhe uns minutinhos a mais do seu dia mais alegre e até procrastine menos. Massa, não é?

Mas se por acaso você não consegue parar de se culpar, não se culpe por isso também. É difícil e eu sei que é.

Fora que é difícil de lidar com as dores musculares diárias que isso te causa e, acredite, a sensação de culpa aumenta esses sintomas, gerando um círculo vicioso.

Por isso, ratifico, não se culpe. Mas se ainda assim estiver difícil para deixar de se culpar e isso te trouxer mais culpa, não se culpe por isso também, okay?

Nesse momento então, você deve estar pensando: mas como vou parar de me culpar? Com carinha triste =(

Mas fiquem tranquilos amigo e amiga, tenho umas ideias bem legais aqui na minha manga e sei que elas podem ser bem úteis para você também.

Medite

Confesso que não sou muito dessas coisas e, talvez, o que eu lhe indicar aqui não tenha relação direta com o termo meditação quando aplicado a sabedoria oriental. Confesso que nem saberia escrever sobre, pois desconheço o assunto.

Mas tenho minhas próprias formas:

  • Escrevendo. De certa forma, esse texto era para ser algo mais técnico, mais direcionado. Mas quando vi que estava se tornando algo mais intuitivo, sem eu perceber, entendi que era algo que faria bem a mim e a outras pessoas. Talvez o conteúdo não seja tão aprofundado quanto tinha planejado, mas com certeza mais sincero e posso afirmar tranquilamente que a produção desse material me fez muito bem;
  • Parando uns minutinhos para pensar. Quando nos confrontamos com nossos problemas internos, crescemos. Normalmente isso vem através de alguma crise. Esta, às vezes, pode ser gerada por alguma procrastinação e por falta de direcionamento com os sentimentos mais pesados. Nesse momento, sugiro que entenda que a procrastinação não é a causa, mas o resultado. Talvez um sono mal dormido que foi causado por algum sentimento de culpa ou de preocupação. Faz sentido? Se fizer, comente nesse post;
  • Caminhando e cantando e seguindo a canção. Okay, você não precisa sair pela rua cantarolando alto. Mas o importante é saber que a vida se torna mais pesada ao não se praticar exercícios físicos, pois caminhar é algo que estimula bem a reflexão e isso, é claro, reduz os sentimentos negativos. Advinha o resultado? Menos procrastinação!

Evite mudanças em sua rotina por impulso

Isso gera culpas em excesso. Muitas vezes o procrastinador sente dificuldade em realizar o que precisa porque não tem horários, o que certamente intensifica o problema.

No seu caso, não é necessário acordar cedo todos os dias às cinco da matina, talvez. Porém, veja bem, acordar todos os dias ao meio dia, provavelmente não ajudará na execução de suas tarefas.

Mas tentar acordar muito cedo de imediato também pode não ser a melhor forma de resolver a situação, porque provavelmente você irá desligar o despertador e voltar a dormir. Adivinhe o que sentirá ao se levantar? Culpa!

Por isso sugiro que, em vez de começar a executar tudo enlouquecidamente, ao mesmo tempo, coloque em mente que se você melhorasse 1% ao dia todos os dias, no centésimo você terá melhorado 100%.

Sendo mais otimista, você melhoraria 365% em um ano e em quatro você será maravilhoso!

Então não queria melhorar tudo tão rápido, isso não leva a perfeição, mas apenas a tropeços e, novamente, culpa. Melhore 1%. Está ótimo.

Então facilite: em vez de tentar acordar muito cedo todos os dias, aceite seus padrões. Coloque o 1% em prática: aceite que procrastina para dormir e por isso tem dificuldades para acordar cedo. Se isso for verdade, depois comente no post para ajudar mais pessoas.

E aceitando seus padrões, sugiro a seguinte estratégia: adeque-se a acordar todos os dias em um horário que se sinta confortável. E acostume-se. Normalmente quinze dias são suficientes.

Depois que acostumou, cogite a possibilidade de acordar quinze minutos mais cedo. E faça isso sucessivamente até encontrar o horário que você realmente precisa. Isso vai permitir que vá ganhando força aos pouquinhos e, com isso, o sentimento de satisfação e de vitória vai substituindo o de culpa.

Além disso, há outro ponto que é um problema na vida dos procrastinadores, será que é o seu caso? Confira:

Dores musculares

Normalmente elas são causadas por vários fatores, como estresse, consumo de alimentos que não ajudam na digestão ou ainda excesso de cafeína. E isso, é claro, intensifica a culpa, que caminha de mãos dadas com o mau humor. Você já viu alguma pessoa cheia de dores sorrindo e feliz?

Enfim, é muito difícil trabalhar com dor. Não é preciso ser especialista para discorrer sobre como a dor influi na capacidade de alguém ser produtivo. É óbvio que sentir dores atrapalha.

Como não sou especialista, vou indicar algumas coisas que têm me ajudado, mesmo que não sejam aparentemente relacionadas:

  • Redução de carne vermelha e fritura. Normalmente esse tipo de alimento tende a ser de difícil digestão. Ou seja, a tendência é de que depois do consumo desse tipo de comida, além de aparecer aquela sonolência costumeira, o organismo fique mais ácido, deixando as articulações doloridas. Dor e culpa são irmãs gêmeas;
  • Redução de cafeína. Café e produtos que contenham essa substância ajudam bastante a manter a atenção. Mas, veja bem, não é seguro tomá-la de forma exagerada ao ponto de sentir dores estomacais ou no fígado. Fora os picos de adrenalina que deixam qualquer um mal humorado, pois o corpo não relaxa.

Um modo eficaz de se livrar do vício do consumo em excesso é reduzir os níveis aos poucos até que eles não causem mais incômodo. Ah! O segredo é fazer o café apenas quando for consumido, pois quando permanece armazenado na garrafa, dando sopa, será sempre um convite para ser tomado.

Mais uma vez: não se culpe

Apenas reforçando o chamado desse texto, não se culpe. Leve a vida de forma mais tranquila e não se culpe por se culpar. O mais importante, lembre-se, que detectar a procrastinação na própria vida é entender que ela é apenas um resultado. Às vezes diz respeito a uma situação simples, em outros momentos pode estar relacionado com um problema interno e que te leva ao boicote.

Pense nisso e bons trabalhos! =)

Texto por Fábio Seletti

Não deixe de seguir nossas atualizações no Facebook e no Linkedin