Transformação Digital: quebrando o status quo do varejo

O varejo tem evoluído lentamente, utilizando práticas do século 19, enfrentando problemas antigos, como: ruptura de estoque; vendedores despreparados; dificuldade para localizar produtos; promoções duvidosas; vendedores abordando clientes na entrada das lojas, entre outros pontos simples de serem corrigidos.

“Não se pode encontrar a solução de um problema, usando a mesma consciência que criou o problema. É preciso elevar sua consciência” 
Albert Einstein

É importante destacar que um pequeno percentual está fazendo corretamente a lição de casa, investindo em pessoas e tecnologia, como a Magazine Luiza com o fantástico Luiza Labs; a Centauro com novas experiências para o cliente (provador inteligente, simulador de corrida para diferentes tipos de pisada) e o Grupo Pão de Açúcar com o GPA Labs — seguindo a tendência dos grandes.

Podemos trocar a expressão “necessidade de se reinventar” por pivotar, acompanhando a evolução das boas práticas e tecnologias, direcionando o seu produto para um novo caminho.

Na era do Big Data, Inteligência Artificial, IoT, não podemos continuar com as mesmas desculpas; os mesmos caminhos e decisões para alavancar o varejo.

Nas grandes corporações observamos o retrocesso por conta da burocracia, atraso na percepção de tendências, bem como o hábito de trabalhar com baixo risco. Reforçando a citação anterior, observe a coragem da Magazine Luiza em criar o Luiza Labs. Eles ampliaram o risco, porém ultrapassaram algumas barreiras do varejo convencional.

Antes de tomar qualquer decisão, o ponto mais importante é o cliente, no entanto na maioria das empresas as decisões partem de uma visão interna, e cabe aqui o clichê “pensar fora da caixa”.

“…os fatos estão fora do escritório, dentro dele só existem opiniões” 
Steve Blank

Tive a oportunidade de trabalhar com grandes CEOs, onde a regra número 1 consistia na visita as lojas para entender o comportamento e as vontades do cliente. Portanto, antes de pensar em tecnologias, pense em pessoas. É justamente neste ponto que devemos iniciar a transformação digital da empresa.

Alguns passos importantes para promover a transformação digital em sua empresa:

  1. Planejamento. Todo e qualquer novo projeto requer um bom planejamento
  2. Mudança de Cultura. Juntamente com o RH e líderes de cada área, construa uma nova cultura organizacional; um novo mindset colaborativo, ágil e com mais autonomia para as pessoas; transforme os gestores em “maestros” e quebre o modelo tradicional e centralizador.
  3. Culture Code. O Culture Code é uma espécie de formalização da cultura organizacional da empresa, com o modelo atual e complementar da missão e valores. (clique aqui para ler o Culture Code da Netflix). Elabore o CC com base no planejamento, boas práticas e processos da empresa.
  4. Desbloqueio de Capital Intelectual. Acredite, seus colaboradores nasceram com incrível potencial criativo e você é culpado por trancá-los num cofre repleto de processos burocráticos. Neste ponto é a hora do “free the mind”. Convoque sessões criativas, utilize Design Thinking para criar novos produtos, serviços e processos. Dê liberdade à todos.
  5. Comunicação e Conhecimento. Amplifique a comunicação entre os times e promova o compartilhamento de conhecimento.
  6. Mergulhe nas novas tecnologias. Estude as tecnologias que são consideradas os pilares da transformação digital: Cloud Computing, Big Data, Machine Learning e IoT.
  7. Pensamento de Startup. Perceberam o volume de startups que estão engolindo os gigantes do mercado? Aprenda com eles; respire com eles; almoce com eles. Veja tudo aquilo que deu certo para o ponto de partida. e não tenha medo de arriscar. Aumente os seus riscos. provoque novos modelos; quebre as regras.
  8. Time de inovação. Destaque um time para conduzir todo o processo. Traga agilistas, cientistas da computação, designers, quebradores de status quo e outros pensadores criativos.

Tenho que reforçar o nível burocrático das grandes empresas e os desafios de profissionais altamente criativos de executarem suas ideias geniais.

CEOs, CIOs, COOs e demais comandantes que pilotam a grande embarcação, saiam do aquário para conhecerem o oceano infinito.