Sobre se importar menos.

Quantas coisas bizarras você já fez para mostrar que não se importa com alguém? Quando isso começou?

Que tipo de relação é essa que lucra quem gosta menos, valoriza menos, ama menos, se entrega menos… tudo menos? Eu acho pouco provável que esse sentimento tenha brotado dentro de nós de maneira tão espontânea. A gente naturalizou isso, alguém sempre se vê obrigado a demonstrar menos. Começamos a transformar as relações em um jogo, uma verdadeira competição, onde quem se envolve primeiro perde. Eu não faço ideia dos porquês disso tudo, mas eu desconfio que existe uma exigência da nossa geração, a tão famosa geração y, de ser cool. Afinal, é brega se apaixonar, ligar no dia seguinte, sentir saudade, etc. O bacana mesmo é ignorar o outro e o que se sente. Aham!

Passamos a ser orgulhosos, narcisistas e, principalmente, egoístas. Olha, a matemática é simples: se aquilo que A sente é demais ou de menos para B, relaxa! Existe C, D, E… Um alfabeto inteiro. A gente tem se esquecido, dia após dia, de ser justo. Justo com o outro, sim, mas principalmente com nós mesmos.

Vale a pena fingir ser algo que não é pra continuar em algo que não te agrada? É justo manter do seu lado uma pessoa sem que ela saiba quem você é ou como se sente?

Eu acho que não é jogo.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.