Preto no branco nunca existiu

Separar o mundo em duas cores apenas é uma idéia simplória demais. Pra não dizer burra.

Cada doença pertence a um doente. Cada doente tem uma mente. Cada mente é um universo infinito. — Augusto Cury

Reduzir opiniões, experiências, cosmovisões, expectativas e leituras de mundo ao dualismo é reduzir a humanidade em apenas dois tipos de gente. Os “bons” e os “maus”. E ninguém precisa ser muito inteligente pra saber que as coisas não são tão simples.

Estigmatizar as pessoas é um erro que a humanidade insiste em cometer até que algo horrível aconteça.

Preto é mau. Escravidão.
Judeu é mau. Holocausto.
Cristão é mau. Chacina em uma universidade do Quênia.
Muçulmano é mau. Morte massiva de refugiados.
Gay é mau. Ataque à boate Pulse.
Comunismo é mau. Ditadura no Brasil.
Capitalismo é mau. Ditadura na Venezuela.
A lista é grande e continua a aumentar todos os dias.

Essa idéia transforma amigos em inimigos e não há nada no mundo pior do que uma ideia que segrega ao invés de unir.

Preto no branco nunca existiu. Nem branco no preto.
Na verdade somos todos pretos e brancos.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.