Um noob no mundo das startups: frustrações

Tenho certeza de que estou prestes a lhe dizer algo que não será uma grande novidade e posso afirmar que em algum momento de sua carreira você ouviu ou se deu conta de que não existe a empresa perfeita. No mundo das startups isso não é diferente. Acredite.

Muitas coisas são falhas e quadradas em uma empresa tradicional, já outras são muito melhores no ambiente das startups. Por outro lado, diversas questões básicas em empresas tradicionais, são falhas nestas empresas iniciantes.

É o famoso mundo do sonhos. Ambiente de trabalho descontraído, a possibilidade de se trocar o terno pela camiseta esportiva, a liberdade para se opinar em determinadas situações e a exclusão de algumas regras, são pontos muito legais nas startups. Não podemos nos esquecer da boa música, café, cerveja de graça, aquele sofá super confortável, jogos de todos os tipos e muito, muito mais coisas que são bem atrativas.

O objetivo destas vantagens é simples: um ambiente descontraído fará com que você permaneça mais horas dedicando-se ao trabalho. Afinal, ali você encontrará boa parte do que você precisa e, portanto, se sentirá bem.

Honestamente, acredito que o aprendizado é o ponto mais forte e mais válido. Posso dizer que muitas vezes somos tirados de nossa zona de conforto ao enfrentarmos situações que dependem unicamente do nosso esforço para se concretizar ou que demandam de nossa habilidade para interpretar, criar ou executar. Isso nos torna profissionais mais completos, capazes e flexíveis, com certeza. Além disso, esse ambiente empreendedor te transforma, expande sua mente, lhe ensina a empreender ou a criar algo novo.

Incrível nao?

Há quase dois anos trabalhando em um ambiente como esse, onde existe um mix entre ambiente de criação e diversão, muito trabalho duro e dedicação; posso afirmar que ainda falta algo muito importante para se manter a paixão do time pela criação e pela empresa sempre acesa: gestão de pessoas.

Existe uma busca constante por pessoas super qualificadas e que tragam um valor real para empresa, que saibam trabalhar em um ambiente com muita pressão e que tragam resultados imediatos! Depois disso, esquecem-se de que por trás de todos esses skills, existem pessoas e que essas pessoas precisam ser gerenciadas e precisam de estímulos contínuos para continuar criando com qualidade e produtividade.

Acredite: Perguntar como você está e como vai sua família, mesmo que ocasionalmente, não é gerir pessoas. Sério!

De fato, a maioria dessas empresas falham na gestão de pessoas e os chefes (aqueles que apenas seguem roteiros prontos e estão longe de serem líderes ou ainda exemplos de inspiração), fazem toda a questão de matar toda essa paixão dia após dia. No final, todos estão rodando no modo piloto automático e nada mais genial sai dali.

Muitas verdades são ditas na entrevista com o filósofo brasileiro Mário Sérgio Cortella, que fala sobre as expectativas da geração millenials e das novas gerações. O sentimento de que você está criando algo de valor e que tenha sentido e obtenha reconhecimento é muito mais importante do que a posição e o salário que você recebe, na grande maioria das vezes!

Logicamente, existem pessoas que estão em busca de uma boa posição e um ótimo salário, mas isso não identifica a maioria das pessoas dessa geração! Além disso, mesmo neste ambiente diferenciado, você sempre encontrará o “nada bom e velho” puxa saco do chefe, aquele colega x9 e outras coisas do tipo!

A falha na gestão de pessoas afeta o ponto que a minha e as novas gerações estão buscando! Exercer alguma atividade pois aquilo nada mais é do que a sua obrigação, não é algo que te motiva ou não lhe dá a chance de criar e evoluir. Além do mais, a falta de reconhecimento ou ainda, o reconhecimento direcionado apenas ao chefe (lembre-se, não o líder), com certeza é uma grande fator de desmotivação.

Como você se comunica bem com o seu time? Você sabe dar um feedback construtivo? Você sabe orientar de forma coerente para promover o crescimento? Você sabe reconhecer corretamente um bom trabalho? Você sabe estimular o seu time? São perguntas desse tipo que acredito serem importantes para a missão de um líder!

Por esse motivo, quando algum amigo ou colega de outra empresa fala comigo sobre o quão é legal trabalhar em uma startup, respondo: Tudo tem os dois lados! Problemas existem em todos lugares e eles só mudam de nome e de local. Então, mudar de empresa nem sempre é decisão adequada.

Hoje, tenho alguns insights dessa vivência que estão me fazendo colocar tudo que tenho aprendido em prática, criando algo em que eu tenha orgulho e que posso chamar de meu.

O meu blog nasceu disso. No momento em que me dei conta de que meus 10 anos a frente de diversos clientes, de diferentes segmentos e em diferentes áreas do Brasil trouxeram-me a vivência necessária para escrever, criar um conteúdo com qualidade (e muita pesquisa e estudo) e perceber que minha ideias traziam algum valor para o público com o qual me comunico, foi muito importante e valioso.

Tudo foi criado do zero utilizando o conhecimento que obtive me aventurando, estudando e trabalhando no mundo do marketing digital dentro de uma startup. Realizei programações, comprei o domínio, coloquei o site no ar, contratei o designer, faço o marketing, crio o conteúdo e diversas outras coisas. Tudo isso com um budget bem limitado.

Em menos de 1 ano, o blog automação & cartoons já atingiu ~2000 views diários orgânicos, além de algumas centenas de pessoas seguindo o blog nas redes sociais. Esses números são impressionantes? Podemos dizer que sim, quando falamos de um blog amador com menos de 1 ano. Entretanto, os números nunca foram o objetivo, sacou?

Neste ponto, entra um tópico discutido no nerdcast sobre sucesso comercial no YouTube, mas que pode ser aplicado em qualquer coisa. Não existe fórmula para criar nada, as pessoas atingem o sucesso de formas diferentes e com conteúdos diferentes.

Porém, uma coisa faz total diferença no conteúdo criado — a paixão pelo que está sendo abordado. Quando você faz algo pois ama aquilo e quer compartilhar sua vivência e experiência com alguém, o público enxergará isso. Essa é a chave da criação de uma audiência de qualidade para seu conteúdo, como também é o ponto que difere o conteúdo de uma empresa para um criador de conteúdo independente!

A empresa pode investir muito dinheiro para promover um conteúdo, mas na maioria das vezes, não será tão impactante quanto o conteúdo de um criador independente falando sobre o assunto. Patrocinado ou não, é indiferente quando o público acredita no criador de conteúdo.

Ao mesmo tempo, você pode se apaixonar por marcas, pois elas podem trazer uma mensagem de valor que vai muito além do produto! Por que pessoas desejam tanto um dispositivo apple e fixam o adesivo com a famosa maçã no carro ou em outro local ou ainda, por que eu comprei roupas com a marca dos instrumentos musicais que eu curto ou toco? Essas marcas são mais do que o produto em si, elas representam um lifestyle.

No automação & cartoons consegui unir duas paixões: desenho e automação.

O blog foi criado sem nenhuma pretensão, apenas pelo prazer de compartilhar o que tenho aprendido nos últimos anos! Logicamente meu desejo é que um dia, ele se torne auto-sustentável, mas o fato de estar criando algo que chamo de meu e tendo reconhecimento do público, já me basta!

O blog foi uma forma de criar algo meaningful, onde faço o que acho que funciona baseado na minha experiência e que mantém minha mente saudável e criativa. Com uma mente em constante movimento (o que acho bem legal), escrevo este artigo durante meu voo de Amsterdam para Berlim! Rs…

O mundo das startups lhe ensina muito em vários aspectos: como uma empresa dinâmica funciona, a busca por resultados a curtíssimo prazo, pensar fora da caixa 24x7, aprendizado constante, etc.

Ao mesmo tempo, você também aprende muito sobre aquilo que não deve ser feito e a forma com a qual você precisa se desenvolver e desenvolver alguém.

Mudar de empresa não é e nunca será a solução para seu problema. Acredite, o problema só vai mudar de nome e de local! Mas acredito que isso você já sabe!

Expor o que acha para o seu “chefe” nem sempre será a solução, já que no final, a opinião dele prevalecerá (mesmo com a pseudo ˜boa intenção de ouvir”). Porém, se o seu chefe é um líder, vai fundo! Além disso, não esqueça mesmo do colega puxa saco, do colega X9, do chefe em cima do muro ou ainda do chefe que não sabe gerir pessoas e coisas do tipo.

Quer uma dica? Centralize sua energia em criar algo para você, algo que lhe dê paixão de se trabalhar e batalhar por aquilo todos os dias, que te inspire e que te motive. Acredite, sempre haverão os HATERS! Os feedbacks nem sempre serão positivos, mas você pode absorver, crescer, melhorar e continuar evoluindo. Existem os haters, mas também existem aqueles que irão admirar seu trabalho, te apoiar e te ajudar a crescer! Isso vale pra sua vida pessoal também! ;)

Se você é como eu, continue criando. Mas crie pela paixão de criar e as coisas acontecerão!

Mesmo assim, o futuro é incerto. Talvez um dia você atinja seus objetivos, mas talvez pode ser que não. Mas calma aí! O mais importante é a caminhada e o sentimento de se criar algo meaningful.

Eu costumava me questionar sobre quem eu seria no futuro. Hoje, me questiono sobre o que terei criado de útil no futuro. Entendo que tudo o que alguém cria, de alguma forma se eterniza, sendo positivo ou negativo. Já uma posição em uma empresa, é diferente. Hoje ela é sua, mas amanhã? Quem saberá? A afirmação de que “ninguém é insubstituível”, profissionalmente está cada vez mais válida!

Ideias podem mudar o mundo ou pelo menos podem ter algum valor — Cuide bem delas.

“Sou muito mais que essas letras, frases e fotos que falam sobre mim. Sou as minhas atitudes, os meus sentimentos, as minhas ideias.” Clarice Lispector