Desilusões

“De pequenas ilusões e desilusões se vive o homem, de ilusões o tolo se alimenta, de desilusões o tolo deixa de existir. ”

São as pequenas desilusões da vida que tentam nos mostrar a triste realidade que nos cerca, são essas pequenas desilusões que nos fazem relembrar de tantas outras transformando o fardo de viver mais pesado, são as pequenas desilusões que nos fazem ver o invisível.

Como cheguei neste raciocínio? É simples:

Hoje ela está indo para Belo Horizonte, está indo para seu futuro, um passo mais perto de realizar seu sonho… ser modelo, trabalhar em uma agencia, ser conhecida, isto começou a quase três meses quando terminamos imediatamente quando terminamos ela conseguiu uma ponta na gravação de um clipe musical de um cantor da região, uma pessoa que está começando a ter sucesso, após isso ela vivia me falando que neste mês a vida dela ia dar uma guinada, eu nunca entendi o porquê, por mais que tentasse descobrir.

No fundo achei bom, fiquei feliz por ela finalmente estava correndo atrás de algo… mesmo que para isso eu tivesse que estar longe, isso na verdade me aborrecia um pouco, afinal “o que eu tinha que não podia fazer isso quando estava comigo? ”, “Eu não era merecedor das conquistas dela? Não era bom o suficiente? ”… Essas perguntas sempre me atormentavam, atormentam e atormentaram durante toda minha vida, desde o dia em que decidi ter algo a mais com ela.

Mas, essa não foi a minha desilusão que me fez lembrar de outras. Mas sim um fulano que estava à ajudando, ela conhece este cara a anos, dizia para mim que sempre foram amigos, nunca passaram de amigos e eu sempre acreditei cegamente, aceitei que antes de mim os dois ficaram uma vez… disse ela, mas no fundo uma coisa me atormentava, se era tão amigo dela, por que eu não podia conhece-lo? Afinal eram amigos e eu nunca tinha visto o rosto dele, até que ocorreu um baile em minha cidade foi aí que o que mais me incomodava tomou forma e passou a ter um motivo, sem que ela saber ele foi ao baile com um amigo, eu não sabia quem era, eu vi ela ficar sem jeito quando o viu, vi ele me evitar, vi ele mal cumprimentar ela de tão sem graça e eu não entendia, afinal eram só amigos.

Então eu refleti que na verdade por mais que fossem só amigos, os dois tinham um sentimento a mais, uma tensão a mais, pois sempre que eu aparecia ele sumia, e sempre que eu e ela terminávamos ele aparecia, então lembrei de como ela falava das conquistas dele, de como enchia a boca para falar dele, de como seus olhos brilhavam, ela o admirava como nunca me admirou, ela ficava desconcertada perto dele, mas não era um desconcerto comum, era um desconcerto sentimental, ela sentia algo por ele… mas eu preferi acreditar que era só impressão minha, os dois nunca se afastaram… por mim tudo bem, eram somente amigos.

“De ilusões o tolo se alimenta”

O tempo passou, minha insegurança em relação a ele sempre foi a mesma, até que eu e ela terminamos mais uma vez, era final de ano, até que chegou a virada do ano, foi na virada do ano que pedi a mão dela em namoro, era a primeira virada que íamos passar afastados, estava doendo… então resolvi procurar para dar feliz ano novo, desejar o que realmente sentia na mesma proporção que eu amava, fui recebido de maneira seca, tratado com hostilidade, ouvi coisas que não queria, eu retruquei, discutimos, eu sabia que ela estava na cidade vizinha, eu sabia que ela estava com amigos, incluindo este cara, eu estava pressentindo algo… eu estava certo, naquela noite os dois se beijaram, essa notícia caiu em mim feito uma bomba, eu não podia aceitar mais tal situação, eu me sentia um tolo, enganado, depois de um tempo ela me procurou me contando, disse que ele agarrou ela, disse que os dois discutiram por minha causa, eu falei que se voltássemos eu não queria saber mais dele em nossas vidas, eu tinha que cortar aquele mal pela raiz.

“De ilusões o tolo se alimenta”

Voltamos estávamos bem, até que em um dia de perrengue eu descubro que a história não era bem assim, eu descubro que os dois se beijaram sim, eu descubro que a briga não era por minha causa, mas por causa dele, pois ela estava gostando dele, ela queria algo a mais com ele, e ele a via como amiga… tinha falado que ia ficar com outra, e os dois brigaram e depois disso ela me procurou, eu fui enganado mais uma vez, mais uma vez eu fui feito de tolo.

Neste momento eu a confrontei, queria explicações, ela falava que tinha esquecido ele, que não falava mais com ele, que não dava mais para ser amigos, não confiava nele… e eu acreditei, mais uma vez tolo…

A vida seguiu as coisas estavam se resolvendo, até que ela precisou ir ao médico em outra cidade e passava pela minha, eu pedi para que ela arrumasse carona para vir até na minha e eu levasse, lá estava ele de prontidão, eu relutei, eu não queria, ela concordou, mas disse que iam mais pessoas, então eu concordei, afinal eram só 30 minutos e não estariam sozinhos, eu resolvi esperar ela no trevo da cidade, demoraram mais de uma hora, apareceram, de fato eles não estavam sozinhos, tinha um casal no carro também, mas ela estava sentada ao lado dele na frente, rindo e o casal atrás, neste momento eu fiquei furioso, mas guardei para mim, não valia apena, questionei o porquê de demorarem… ela disse que o casal não era da cidade dos dois mas de uma cidadezinha entre as nossas e o casal tinha enrolado, me pediu desculpas. Eu aceitei, no fundo eu estava puto, queria matar os dois, era muita audácia, mas o que mais me doía era ver ela na frente do carro, ao lado dele, sorrindo, depois disso tudo…

A vida seguiu…

Até o dia de ontem, quando este cara entra em cena novamente, ela estava indo para Belo Horizonte, ficar na casa dele, para uma agencia de modelos que um fotografo arrumou… só isso já me deixava puto, louco, eu fiquei louco, é muita audácia, ainda mais depois de tudo, mas o que mais me destruiu é de como as coisas aconteceram, ele apareceu e ofereceu a ela tudo aquilo que sempre tinha oferecido, ser parceiro, fornecer todos os recursos necessários para ela, o cara roubou todas as minhas ideias! Virou confidente melhor amigo, o mesmo cara que ela disse que não dava mais para ser amigos! Ela ia dormir na casa dele, trabalhar ao lado dele, ser parceira dele, tudo que eu tinha falado para ela que eu queria fazer e ela sempre recusou, o cara assumiu o posto que eu sempre quis! O mesmo cara que eu suspeitei de algo minha vida inteira!

E eu agora era só alguém que ela uma vez conheceu, que nem amizade queria, que merecia um “flw” em uma despedida!

Eu quero mata-lo! Eu quero matá-la! Eu quero me matar! Eu não estou me aguentando mais! Para todo lugar que eu olho tem um pedaço dela! Eu dediquei minha vida a ela!

Como deixei as coisas chegar a esse ponto!?

“De desilusões o tolo deixa de existir. ”

Como eu queria que ela lesse isso! Como eu queria que ela lesse isso!

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Fábio Teixeira’s story.