SAMBA, VIDA E PROFECIA

Morreu no domingo, dia 27 de agosto de 2017, aos 81 anos, um dos grandes nomes da Música Popular Brasileira, um dos Baluartes do samba e ícone da nação imperiana, Wilson das Neves. No contexto de perseveração de uma politica de (in)segurança pública, que ao invés de uma mega educação, oferece ao povo uma mega operação e uma mega humilhação, vale a pena refletir sobre as palavras do poeta do samba e profeta da vida:

O Dia Em Que O Morro Descer E Não For Carnaval
Compositor: Wilson Das Neves / Paulo César Pinheiro

O dia em que o morro descer e não for carnaval 
ninguém vai ficar pra assistir o desfile final 
na entrada rajada de fogos pra quem nunca viu 
vai ser de escopeta, metralha, granada e fuzil 
(é a guerra civil)

No dia em que o morro descer e não for carnaval 
não vai nem dar tempo de ter o ensaio geral 
e cada uma ala da escola será uma quadrilha 
a evolução já vai ser de guerrilha 
e a alegoria um tremendo arsenal 
o tema do enredo vai ser a cidade partida
no dia em que o couro comer na avenida 
se o morro descer e não for carnaval

O povo virá de cortiço, alagado e favela 
mostrando a miséria sobre a passarela
 
sem a fantasia que sai no jornal 
vai ser uma única escola, uma só bateria 
quem vai ser jurado? Ninguém gostaria 
que desfile assim não vai ter nada igual

Não tem órgão oficial, nem governo, nem Liga 
nem autoridade que compre essa briga 
ninguém sabe a força desse pessoal 
melhor é o Poder devolver a esse povo a alegria 
senão todo mundo vai sambar no dia 
em que o morro descer e não for carnaval

________________________________________
(Wilson das Neves)

NÃO HÁ PAZ SEM JUSTIÇA SOCIAL!!!

*Padre Gegê — Pároco da Igreja Santa Bernadete (Higienópolis/ Manguinhos) Grupo Fé e Politica João Cribbin