Duas escovas

Eu tenho pensado, nos últimos dias, como colocar em palavras o que meu coração não se esforça pra dizer, mas veio como um estalo quando vi aquela escova descansando ao lado da minha.

No mesmo instante lembrei de nós dois, nas espreguiçadeiras da piscina, curtindo a nossa companhia e tentando desbravar um a vida do outro. Navegamos pelo mar de histórias que trouxeram nossas navegações até aqui. Enquanto eu era (sou?) tormenta, você é calmaria. Basta trocar algumas palavras contigo, para a minha maré baixar e as nuvens de tempestade sumirem.

Não é só o teu sorriso tranquilo, tua voz baixa ou teu olhar cativante que me atrai; tua obstinação e foco, preocupação comedida, além do teu toque suave que me fazem querer estar ao teu lado.

Eu sei que, às vezes, eu sou muito afobado, mas parece que eu encontrei em ti o freio para meus anseios e um modelo que eu posso me inspirar para crescer pessoalmente.

E eu não sei o que vai ser daqui pra frente, o que eu sei é que a viagem, até aqui, tá boa demais.

Like what you read? Give Felipe Avelar a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.