Recife e seus 5 longos anos! Uma análise mais cabulosa…

Espero que tenham gostado do primeiro post, aquilo ali me deu um trabalho pra aprender… (esperem pelo post técnico sobre as dificuldades e facilidades ao utilizar Pandas e Jupyter notebook). Neste post e no anterior eu falo desta cidade linda aqui, óh:

Hellcife pros íntimos

E suas despesas orçamentárias dos últimos 5 anos.

Irei tentar responder alguns #food for thought mais interessantes do texto anterior, o #1:

“Por exemplo, enquanto em 2013 a prefeitura pagou poucas contas em fevereiro, no mesmo mês em 2014 este mês foi um dos maiores pagantes!.[food for thought #1].”

E fui investigar os tipos de gastos presentes e várias coisas legais apareceram, e olhei para uma variável chamada “categoria econômica”. Basicamente, o que me iluminou e ajudou à entender os valores desta variável foi o documento da secretaria da Fazenda de São Paulo[1], basicamente os valores presentes no mês de Fevereiro em 2014 são:

“Despesas correntes” e “Despesas de Capital”, contudo:

somente despesas correntes estão presentes no mês de fevereiro mas, e o que são despesas correntes? resposta: [1]

Despesas correntes: classificam-se nesta categoria todas as despesas que não contribuem, diretamente, para a formação ou aquisição de um bem de capital.

E outra pergunta surgiu: O que são bens de capital?

Bens de capital ou bens de produção são os equipamentos e instalações, são bens ou serviços necessários para a produção de outros bens ou serviços. O bem de capital não é diretamente incorporados no produto final. Indivíduos, organizações e governos usam bens de capital na produção de outros bens ou mercadorias.

E depois de todas essas definições, a que conclusões cheguei? Nenhuma.

Mas existe uma variável muito interessante: “Grupo de despesa” e foi nesta variável que obtive uma resposta:

O fevereiro mais caro dos últimos 5 anos de fato foi um bom mês para projetos da cidade, porém nossos (ex-)funcionários são muito caros!

Esta variável é preenchida desta maneira:

O que é relativamente simples, trabalho de fato, foi feito, dado que despesas correntes de outra natureza foram feitas (e grande maioria — 76,8%), porém, ao calcular o valor total gasto em fevereiro de 2014, temos este pequeno valor:

R$68711862.80000003
(68 Milhões de Reais e 711 mil)
23,2% disso: R$15941152.1696 (15 Milhões e 941 Mil)!

Um valor bem notório do orçamento de um único mês, acho que dai nasce um novo questionamento:

“ E se as nossas despesas fossem mais claras? Contendo exatamente em qual lugar elas foram gastas?!” [food for thought #5].


Dissecando Dezembro [Food for thought #2] :

A primeira variável que parei para olhar no mês de Dezembro de todo o banco de dados (ou seja, entre 2011 e 2015), foi a “unidade_nome”, basicamente, ela contém escrito qual a unidade da prefeitura responsável por aquela despesa e vejam o TOP 10:

Quantidade de contas:
FUNDAÇÃO DE CULTURA CIDADE DO RECIFE - FCCR                                                           6637
FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE - FMS 3757
SECRETARIA DE EDUCAÇÃO, ESPORTE E LAZER - ADMINISTRAÇÃO DIRETA 2231
SECRETARIA DE EDUCAÇÃO - ADMINISTRAÇÃO DIRETA 1778
EMPRESA DE MANUTENÇÃO E LIMPEZA URBANA - EMLURB 1386
EMPRESA DE URBANIZAÇÃO DO RECIFE - URB/RECIFE 1328
AUTARQUIA MUNICIPAL DE PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA À SAÚDE DOS SERVIDORES 1213
COMPANHIA DE TRÂNSITO E TRANSPORTES URBANOS - CTTU 901
RECURSOS SOB A GESTÃO DA SECRETARIA DE FINANÇAS 763
SECRETARIA DE CULTURA - ADMINISTRAÇÃO DIRETA 693

A prefeitura gasta pesado em sua secretaria de cultura no mês de Dezembro, bem provável e nenhuma novidade para nós dado que estamos no mês de maior comércio apesar de que o Natal não é nem de perto uma festa do tamanho do Carnaval.

“Mas ai é que tá: será que a prefeitura investe mais no Carnaval ou no Natal? Como?”

Por último, uma variável que eu não explorei e que para possui MUITA informação se chama “programa_nome”, sim, isso mesmo, divide o banco de dados em PROGRAMAS feitos pela prefeitura do Recife, como por exemplo: “VALORIZAÇÃO DA CULTURA” ou “ORGANIZAÇÃO EFICAZ DO ENSINO E DA APRENDIZAGEM”.

Então, ao juntar esses dois meses, qual seria o programa que é mais gasto no mês mais caro* do ano? (*Se levarmos em conta a soma dos custos de todos os meses ao longo dos anos).

Top 5(de cima para baixo):

 GESTÃO ADMINISTRATIVA DOS ÓRGÃOS, ENTIDADES E FUNDOS MUNICIPAIS - 
R$63,363,018.54
GESTÃO DAS POLÍTICAS MUNICIPAIS - R$69,628,845.72
GESTÃO DAS POLÍTICAS MUNICIPAIS DE SAÚDE - R$75,214,766.09
ORGANIZAÇÃO EFICAZ DO ENSINO E DA APRENDIZAGEM - R$99,353,199.28
GESTÃO DOS ENCARGOS GERAIS DO MUNICÍPIO - R$190,429,382.99

Mas vamos lá, sabemos que os custos para gerenciar uma prefeitura são elevados mas ser o primeiro lugar em uma instituição?! De onde vem tal custo elevado (ou vocês acham 190Milhões pouco dinheiro?)?

Mas um ponto me chamou muita atenção positivamente: a educação é um setor de prioridade na nossa prefeitura. Afinal, a educação é completamente gerenciada por nossa prefeitura, um detalhamento dessas despesas seria algo muito legal de analisar e perceber seus efeitos (ou a falta deles). Porém…a diferença são de quase (gritantes) R$100 Milhões para a gestão de encargos gerais, algo complicado de ser entendido.


Então pessoal, espero que todos vocês tenham curtido de fato, todo este enorme texto sobre minha análise acerca das despesas da prefeitura do Recife, quem quiser mais textos e mais colaborações, cliquem no ❤ ao final deste texto e comentem! Esse feedback de vocês me motiva a criar mais!.

Referências

[1] https://www.fazenda.sp.gov.br/SigeoLei131/Paginas/ArquivosLC/LC_131_Despesas.pdf

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.