O Mundo é Carioca

O Rio de Janeiro estava prestes a sediar o maior evento da terra no ano de 2016 em meio a crises políticas e socioculturais, um cenário inapropriado para celebrar as Olimpíadas desde sua primeira edição da Era moderna em 6 de abril de 1896 em Atenas. Nos dias precedentes ao megaevento, os olhos do mundo se viraram ao Brasil, fato comum no nosso mundo globalizado. Porém, nem tudo aquilo que se falava lá fora acontecia aqui dentro. Isso porque a percepção dos estrangeiros em relação ao país é quase disparatada, e para entender o que realmente vivenciam os cariocas, era necessário dar uma voltinha pela cidade maravilhosa. Foi assim que os rumores foram cessando, uma vez que as mídias internacionais começaram a desconstruir aquela imagem tosca de terra de ninguém para pais tropical abençoado por Deus. As manchetes internacionais mudavam de “ZIKA” para “Samba” e através das três semanas de eventos esportivos, o espírito olímpico contagiava ao mundo com aquele jeitinho que só nos sabemos.

A abertura dos jogos foi tão aclamada pela crítica especializada e jornais estrangeiros, que uma nova perspectiva nasceu naqueles que condenavam o evento. As competições foram emocionantes e seguidas fielmente pelo público internacional que torcia dentro e fora do Brasil, através de uma extensa cobertura televisiva. A festa contagiou tanto que até o último minuto, os gringos já diziam saudades, palavra que não tem tradução.

Repercussão da abertura da Rio-2016 nas capas do Wall Street, La Nación e The New York Times

Os Jogos de 2016 foi o evento que gerou maior movimentação nas redes sociais, com 131 milhões de pessoas envolvidas em 916 milhões de interações, além de ser as olimpíadas mais comentadas do Twitter com 75 bilhões de impressões e 187 milhões de tweets segundo dados da Infobase Interativa. O que não surpreende é que os Estados Unidos lideraram também o número total de interações sobre as Olimpíadas com mais de 16 milhões de interações.

Finalmente, o Rio se destacou fazendo aquilo que sabe melhor, encantando ao mundo com sua beleza natural, sua gente receptiva com braços sempre abertos e seu carnaval de Janeiro a Janeiro. Os jornais estrangeiros mudaram sua visão e até agradeceram. Nada mal pra uma Olimpíada Catastrófica?