Obrigado pelo seu texto Felipe.
Henrique Silva
21

Olá Henrique. Obrigado pela contribuição. Você tem razão, se por um lado o RH tem feito tudo o que eu e você citamos (diversas firulas que não representam nada) por outro, há sim uma tendência a enxugar os investimentos em pessoas, sacrificando resultados de médio e longo prazo, para um número maquiado de curto prazo. Este fenômeno é muito nocivo para as empresas e já vimos como isso terminou em decisão semelhante quando, em 2008, aí nos EUA os executivos expuseram as empresas a riscos maiores de crédito do que poderiam (a bolha imobiliária), buscando bonificações milionárias. Esse efeito eu discuto em outro texto que publicarei nesta semana, que toca justamente nesta questão, os efeitos colaterais nocivos dos bônus e outras estratégias de valorização na empresa.

Por outro lado, o RH é a área que sobre mais cortes, em parte, por culpa do próprio RH. Como a maioria dos profissionais da área não consegue fazer uma ligação lógica e baseada em evidências entre suas práticas e o resultado da empresa, o setor é visto como uma fonte de custo e não um centro de investimento e resultado. Custos precisam ser cortados, essa é a ordem.

Quando publicar o próximo texto, quero ver seu comentário aqui para ter certeza de que estamos falando da mesma coisa e, estou certo, você poderá contribuir para as discussões.

Grato

A single golf clap? Or a long standing ovation?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.