Aqueles 2%

A vida nessa sociedade que a gente construiu não é exatamente boa, grande parte dos sistemas que criamos são como prisões, tem a violência, trânsito, pobreza, corrupção, enfim, qualquer um de nós pode enumerar um volume enorme de problemas da civilização moderna.

É de forma focada, e até obcecada, nessa realidade que quase todo mundo vive e esse texto é para dizer que existe um lugar diferente em que podemos viver.

Eu acredito que de tudo aquilo que é nossa criação 2% é bom, é diferente do que foi citado no primeiro parágrafo e eu te convido a não mais dar tanta importância a esses 98% do teu arredor, mas sim, procurar aqueles 2% em que há paz e completude.

Existe próximo de você um local, uma praça ou um jardim, em que você pode se sentar por alguns minutos e não sentir medo da violência, ficar ali em paz por alguns minutos contemplando a natureza.

Existe uma maneira de você não mais precisar trabalhar tanto, sempre existe, e o segredo não é em ganhar mais dinheiro e sim em precisar menos do dinheiro. Você sempre pode diminuir seu custo de vida, se livrar de pesos financeiros que, sejamos francos, não são tão necessários assim. “Há, mas eu preciso desse objeto ou daquele serviço para viver”, você tem certeza que não tem como viver sem isso?

E a informação que você come? Noticiário de TV aberta e Facebook enchendo você com material de violência, falência e decadência. procure aqueles 2% de informação que, ao consumir, te faz sentir uma pessoa mais feliz. Um romance, um artigo ou uma história de um amigo.

E nos relacionamentos? O que seria escolher os 2% melhor nos relacionamentos? Não aprofunde relacionamentos com quem não te faz sentir melhor consigo mesmo. Invista seus sentimentos naqueles que alimentam teu interior.

Para cada coisa ruim, existe um pedacinho de outra coisa complementar que é boa e a nós cabe a escolha de onde viveremos. Essa proposta não é de alienação, só porque eu posso escolher viver no que é bom não significa que vou fingir que o ruim não existe, até porque isso é impossível. Quem criou esses sistemas e a sociedade foi eu, você e todo mundo, e escolher viver apenas no 2% melhor do externo é também viver o 2% melhor do interno, porque os 98% ruins estarão dentro da gente, e ficarão aqui dentro sabe-se lá até quando. Faz parte de ser um humano reconhecer que o bem e o mal está dentro de nós e cabe a escolha de qual faceta vamos manifestar.

Like what you read? Give Felipe Lavratti a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.