Viajo bastante pelo interior de São Paulo a convite do MIS — Museu da Imagem e do Som de São Paulo, para dar aulas sobre produção audiovisual para internet. O projeto se chama Pontos MIS e é muito incrível, levando vários profissionais pra falar com públicos de cidades pequenas que nem sempre tem acesso a esse tipo de informação.

As cidades, depois de um certo tempo, meio que se parecem um pouco e eu acabo esquecendo por onde passei. Resolvi então, sem ter certeza da periodicidade, escrever o …

[sobe som vinheta de abertura]

Guia de Viagem das Cidades que Você Nunca Vai Conhecer !

[final com música grandiosa]

E a primeira cidade do meu guia é a gloriosa Espírito Santo do Pinhal.

www.guiapinhal.com.br

Descobri que quem mora aqui é Pinhalense. Não Espírito-Santense, ou Santo-Pinhalense. A cidade, me disseram, foi muito rica no começo do século pelo cultivo de café. O café é um personagem constante nessas minhas viagens, pois quase toda cidade tem ou teve uma relação próxima a ele nesse nosso querido estado. O que me estranha tanto tomar uns cafés esquisitos por aqui.

Espírito Santo do Pinhal, com seus 40 mil habitantes, ostenta muitas construções tombadas como Patrimônio Histórico. O mais legal é que eles são conservados, então a cidade acaba se tornando bem bonita. Por ficar no começo da Serra da Mantiqueira, têm um número considerável de ladeiras, mas isso não é nada pra quem mora em Perdizes.

Os restaurantes daqui tentam emular o pior (pra mim) de São Paulo, como é de praxe no interior. Temakerias, Café ~Gourmets~ imitando Starbucks, Padarias Chiques, etc. O pessoal me disse que o IDH daqui é ‘parecido com o da Suíça’, o que explica essas perdoáveis jequices. O chato sou eu, afinal. Quem não curte um temakão com cream chease? o/

Me arrisquei num lugar chamado Tonheca’s Beer Box, que existe há 40 anos na praça principal da cidade. Parenteses pra falar que a praça da cidade é linda, tem fonte, coreto, toda iluminada e é bem gostosa de andar à noite. O Tonheca’s tem wi-fi (dsclp), mas o senhor que atende não fica muito feliz em fornecer a senha. No que ele está 100% correto. Eles fazem uns lanches gostosos e fartos por um preço bem ok. Saí de lá feliz com meu sanduíche de contra filet com ovo e queijo. Um clássico.

https://www.facebook.com/tonhecas

O Theatro (com th mesmo) da cidade é bem bonito e vale a conhecer. Mas acho que ele não fica aberto à visitação, só quando têm espetáculos. O pessoal da prefeitura foi bem gentil de abrir pra mim. Parece que tem vários grupos de teatros aqui na cidade e que as pessoas usam bastante o espaço, o que me deixa feliz.

Um fato estranho é que os restaurantes em volta da praça abrem de segunda à noite, mas fecham na terça. Ou eu dei azar. E isso foi tudo o que eu conheci nessa simpática cidade. Até a volta, ou não.

Pra quem chegou até aqui, um sincero obrigado.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.