Insight #3

Nessa minha ânsia atual de conquistar a vida corriqueira que eu almejo há anos, andei me perguntando o quanto eu deixei de aproveitar minha adolescência e se ainda valeria a pena correr atrás de coisas que eu deixei de fazer anos atrás por conta dos meus limites pessoais.

De repente me peguei esquecendo dos bons momentos que eu passei enquanto estive no ensino médio. Ora, não posso deixar de lado as várias noites que passei depois da escola jogando conversa fora, desabafando sobre problemas amorosos ou simplesmente falando besteira, as várias vezes em que desviei do meu caminho habitual para casa para acompanhar meus amigos à algum lugar, as várias noites que saí de casa mesmo sem dinheiro ou sem vontade para ir ao shopping conversar, os vários fins de semana que saí de um bairro ao outro de ônibus demorando mais ou menos uma hora para chegar ao Parque de Madureira, jogar ainda mais conversa fora e me empanturrar de batata frita com 5 molhos diferentes e um Tobi, além de voltar pra casa à noite de ônibus, fazendo despedidas na primeira metade do caminho e ouvindo música na outra metade.

Sim, foi tudo dentro dos meus limites pessoais, nem tudo representa as coisas que eu gostaria de ter feito nessa época, mas foi tudo verdadeiro e não posso deixar de contabilizar e reconhecer que tudo isso fez parte da minha adolescência e marcou uma fase dessas duas décadas que vivi até o momento.

Só para deixar registrado.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.