O DIA EM QUE GANHEI SUPER PODERES

07 de dezembro de 2007, nunca vou me esquecer aquela noite.
Eu estava me tornando pai…
Estava sentindo um turbilhão de sensações diferentes.
A principal delas era sobre que tipo de pai eu seria, qual a referência que quero ser para aquela pessoinha que acabou de chegar e já estava mudando minha visão de mundo, me ensinando tanta coisa boa.
Eu pensei em ser um pai distante e assim poupar minha filha de um sofrimento que eu havia passado recentemente, mas ao mesmo tempo eu estaria abrindo mão de momentos maravilhosos e importantes para o desenvolvimento dela.
Ela estava ali, deitada no berçário da maternidade, eu olhava pra ela através do vidro quando eu consegui compreender o que estava acontecendo.
Eu ganhei uma dádiva, estava despertando em mim um dom que eu desejava quando criança. 
Eu ganhei a chance de ser um super-herói.
À partir daquele momento eu passei a ser o mais forte, mais rápido, mais inteligente, mais seguro de todos os portos.
Na visão dela nada poderia acontecer quando estivéssemos juntos…
Ela estava certa…
Hoje, quase 7 anos depois, ela continua me ensinando e me dando muito mais força do que uma criança na sua idade pode compreender.
Talvez ela só perceba a sua força da mesma forma que eu percebi: Quando mudei de lado, quando deixei de ser admirador para ser admirado, deixei de ter medo para ser protetor, deixei de ganhar colo para oferecer colo.
A vida muda, nós mudamos… mudamos de cidade, de casa e mais um monte de mudanças acontecem nas nossas vidas, mas nunca, em hipótese alguma podemos perder nossa essência…
E a sua essência minha filha, é amor, o mais puro e mais lindo sentimento do mundo.
Obrigado por me fazer forte e sempre manter vivo na minha memória o que realmente vale a pena nessa vida.
Papai te ama mais que tudo na vida, você mora no meu coração e não paga aluguel.