Quase #DiárioparaGui

Olha a foooooca!

Resgatei esta imagem do início de 2017. Antes de ir conhecer o mar, você foi apresentado lá em casa para a foca — um bichinho de plástico muito simpático (nem é tão fofo com os bichinhos que têm de pelúcio com olhinhos delicados e fofinhos) que ganhei em um amigo secreto na Editora onde trabalhava. Isso porque na equipe com mais de 10 pessoas juntas eu sempre invocava “Pessoal, foca no trabalho, porque a gente tá fazendo muito barulho”. Na tentativa de todos focarem no trampo e falar mais baixo — corria pelos corredores, que esta equipe, apesar de trabalhar pacas, costumava falar alto demais e outros departamentos ouviam as conversas. É, Guizão, a vida de adulto tem disso… Mas o mais legal é existe esta herança boa da foca dos amigos que fiz na Alto Astral e que me ajudaram, me ensinaram a ser quem eu sou profissionalmente. Boas lembranças! E a foca continua fazendo amigos — todo sobrinho nanico costuma babar (literalmente) neste amontoado de plástico azul-escuro e apertar a pancinha molinha do animal… Saudadona de você! Beijos. Tia Fer.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.