Tornando-se minimalista

Até agora eu estou apenas contando como está sendo a experiência em me tornar minimalista, mas nunca contei de onde surgiu essa urgência dentro de mim. Na verdade, eu não sei quando começou esse sentimento, mas sei quando tive o gatilho para finalmente colocar a mão na massa e seguir com o plano (e não apenas deixar no papel).

O gatilho surgiu quando um casal amigo deu a notícia de que sairiam do país para morar em Estocolmo. Foi uma surpresa! Finalmente alguém do grupo realmente iria sair do país for good. Até então alguns tinham saido do estado (esse casal amigo inclusive), mas não do Brasil. Claro que foi uma novidade. Deu aquele excitement dentro do peito. Oras, todos nós estamos sujeitos a sair do país para trabalhar na gringa, eu inclusive nessa época estava vendo um estágio para ficar pelo menos 3 meses na Califórnia.

Nas conversas com essa amiga (Nat) esse assunto dominava. Todo o processo deles voltarem para o RJ, arrumar malas, vender eletrodomésticos e todo o resto que não é transportável… Gente, que trabalheira! Imagina colocar todos os seus pertences em duas malas de viagem + uma mochila? Imaginou? Pois é, a vida fica muito mais simples quando você tem realmente aquilo que te faz feliz, que não seja um “entulho”.

Imagem retirada do Pinterest. Eu não teria malas brancas, imagina isso rodando pelo aeroporto…

Tem motivo melhor para colocar em prática algo que já estava planejado? Pra mim foi o suficiente. Atualmente se algo assim acontecer comigo todo o estresse vai estar reduzido. Eu tenho certeza que me sentiria overwhelmed com a quantidade de coisas que eu possuia antes. Muitos objetos que só serviriam para me causar ansiedade e sentimento de “não posso levar nada”.

Não estou ainda no ponto que deu O CLICK de Nossa, está perfeito! Não preciso de mais nada e amo tudo o que tenho. Eu ainda teria algum estresse por não poder levar algumas das coisas que aprecio, mas estou trabalhando nessas questões.

Tenho que confessar que tinha deixado um pouco de lado a revisão dos pertences. Eu estou me concentrando mais em me aperfeiçoar (Sim, estou a louca dos canais de auto-ajuda). Tenho assistido muitos canais que tratam de produtividade, criatividade, minimalismo, design, estética e fotografia. Estou pensando em começar a escrever sobre as inspirações que esses canais me dão, pode ser que inspire mais alguém.

Migas internacionais. Uma já foi e a outra está indo. Coincidência ter essa foto. s2

A foto acima já dá o spoiler, mais uma das minhas amigas está saindo do país, a Em. Outro casal amigo está indo morar fora do Brasil for good, mas dessa vez em Amsterdam (um amorzinho de cidade, btw). Esse outro pequeno gatilho me fez repensar meu guarda roupa e reavaliar o que fica e o que vai.

Desde que entrei nessa jornada estou passando por um processo de auto(re)descobrimento. Por exemplo, quando Em anunciou a novidade me serviu como gatilho para reavaliar meu armário. Quando eu assumi que possuiria poucas peças de roupa foi necessário pensar mais sobre o meu estilo. É necessário analisar e avaliar tudo o que se encaixa no seu padrão futuro. Nessas minhas análises cheguei à conclusão de que cores muito chamativas não estão no meu planejamento futuro de roupas.

Em resumo, duas coisas são importantes: 1- Ter um objetivo e 2- Identificar o que te motiva a partir para a ação. Meu objetivo é encaixar meus pertences em duas malas de viagem + mochila, e o que me motiva é a iminência de mudança. Não necessariamente essa mudança é como a das minhas amigas, pode ser mudar de casa, viajar, enfim, qualquer casualidade da vida. E com você, o que te motiva? Quais seus objetivos?