1 ano sem você….

Pois é já se passaram 1 ano, 1 ano sem sua voz, sua proteção, seu carinho, sua força, foi o ano mais estranho de minha vida, me lembro como se fosse ontem como tudo aconteceu…

Na última semana refiz mentalmente todos os dias daquela semana, tentando mais uma vez entender o que tinha deixado passar sem perceber, mais uma vez não encontrei resposta.

Me lembro de todos os detalhes daquele dia, da conversa com Dr. Marcos, da convulsão, do meu pedido à Deus para não te levar, da conversa com o capelão, da conversa com o Leandro, de como estava quando recebi a notícia, de não conseguir falar depois daquele momento, de ficar grudada no meu Map buscando alguma proteção.

Naquele dia me senti, como senão estive em meu corpo, senti como se estivesse do alto vendo tudo, que aquilo não real ou possível, não me lembro de ter chorado durante o enterro, acho que a única coisa que fazia era respirar, não tinha ação, não era comigo aquilo. Me lembro que até o último momento antes do seu enterro esperava que você voltasse a respirasse, que de alguma forma pudesse voltar, minha esperança foi até o final.

Nos próximos dias me lembro de ter tirado os remédios, as roupas dos lugares de costume, tudo para preencher a cabeça e, assim foi. Depois de uma semana veio o choque, depois de um dia da novena, algumas pessoas jantaram em casa, rindo e conversando, percebi que aquilo era real. Sentei para jantar e a vida que conhecia não existia mais. Isso me deu muito medo e ainda dá, como seria possível enfrentar a vida sem ter ao meu lado quem me ensinou a lutar e lutou até o último suspiro. Como iria continuar, quem iria cuidar de mim, para quem iria contar as novidades, quem iria me buscar em qualquer lugar que fosse.

Tenho tanta coisa para contar, às vezes me pego procurando algo no supermercado ou na fármacia para você. Como é possível que alguém que está tão vivo em mim não estar fisicamente do meu lado. Viver sem você não é fácil, é um desafio diário, ir para casa no final de semana e não te encontrar é o maior deles, mas é o lugar que mais te sinto presente. Você foi amor, só deixou coisas boas, um grande amor. Tenho lutado para não perder a fé, assim como não perdeu à sua, nem nos piores momentos, tenho pedido à Deus, que por mais que não entenda, que ELE possa transformar essa grande dor em saudade, dando lugar só a coisas boas que vivemos juntos.

Sei que não gostaria de forma nenhuma que desistisse de algo e não desisti, continuo teimosa naquilo que quero, sei que de alguma forma você tem visto isso, isso acalma o meu coração. A mãe tem cuidado de todos, sei que está orgulhoso dela. O Emanuel está cada vez mais a sua cara, dá aquela risada gostosa como a sua, ele coça as costas como você, anda como você, é super querido por todos, imagino a sua felicidade e o grude que seria com ele se tivesse aqui, ah e o Mi está cada vez mais esperto tecnologicamente falando, muito fofo e um grude comigo, é a Bruna e, ah pode ficar tranquilo que vou contar com muito amor as suas aventuras e tenho certeza que ele vai ter muito otgulho de você assim como todos nós sempre tivemos.

Pai, não fui ainda no túmulo, pensei em ir diversas vezes, mas não me sinto preparada ainda, me desculpe, mas prometo ir, assim como voltei para o hospital. Por mais que seja muito difícil não ter aqui, espero que esteja muito feliz ai em cima, espero que esteja com a vó e o vô.

Espero poder te dar muito orgulho ainda! Amo você demais!!!

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Fernanda Araújo’s story.