Você já se permitiu sentir hoje?

Arquivo pessoal. Praia de Itaquara — Interpraias/SC, 2017.

Há quase um ano, minha mãe foi para o mundo da luz. Entre descoberta da doença, o processo do tratamento (4 anos) e principalmente o processo de luto, descobri infinitos sentimentos que eu acreditava profundamente que eu já tinha domínio. Doce ilusão. Não sabemos de nada, nada mesmo.

Temos a mania de fugir dos nossos sentimentos, do amor ao ódio. Afinal, é mais fácil, não é? Pois bem meu caro amigo, te digo que não. Sabemos muito bem que sentir dói. Encarar a verdade nua e crua dói. Mas depende de você como vai encarar isso com a sua resiliência ( a gente aprende, não se preocupe) e a fuga só permite que a gente apenas postergue esse cara a cara com nós mesmos e da situação que nos colocou nessa posição.

Não foi uma jornada fácil nos últimos anos esse tal de sentir. Isso que eu sou uma pessoa intensa e impulsiva, penso sempre no agora. Mas, gostaria muito de não ter aprendido muita coisa na dor, mas sim no amor. Entretanto, acolho no meu coração todos esses aprendizados na dor e na fuga, pois aprendi que a vida é muito mais que esse jogo de esconde-esconde.

Aprendi que sentindo, a gente se conhece, se reconhece, se encontra e aceitar os fatos, as circunstâncias e as pessoas como são. É quase que uma liberdade, sabe? E quando você se permite SENTIR, que é se entregar, deixar as coisas fluírem e acontecerem de forma natural, a sua ENERGIA flui. Tudo o que estava preso, vai embora. Conexões reais acontecem. Alguns ciclos são fechados e outros abertos. O sentir te coloca em movimento. Não tenha medo, sentir faz parte do processo da sua evolução e olha só, só VOCÊ pode guiar a direção.

Nunca se esqueça da sua intuição, é o universo falando contigo. Preste atenção sempre, meu caro amigo. Você pode se surpreender. Permita-se.

Like what you read? Give Fernanda Sawczyn a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.