Eu sou

Eu sou para cada pessoa aquilo que ela acha que eu sou.

Quem sou eu além daquele que fui?
Perdido entre florestas e sombras de ilusão
Guiado por pequenos passos invisíveis de amor
Jogado aos chutes pelo ódio do opressor
Salvo pelas mãos delicadas de anjos
Reerguido, mais forte, redimido,
Anjos salvei e por justiça lutei
E o amor novamente busquei

Quem sou além daquele que quero ser?
Puro, sábio e de espírito em paz
Justo, sempre que eu possa ser,
Forte, mesmo sem músculos,
E corajoso o suficiente para dizer “tenho medo”

Mas quem sou eu além daquele que aqui está?
Sou vários, menos este. O que aqui estava, jamais está e jamais estará. Sou eu o que fui e cada vez mais o que quero ser:
Mudo, caio, ergo, sumo, apareço, odeio, amo…
Mas no momento seguinte será diferente, posso estar no caminho da perfeição, cheio de imperfeições
Sou o que você vê ou o que quero mostrar.
Mas se olhar por mais de um segundo, verá vários “eus”,
Eu o que fui, eu o que sou e eu o que serei.

Você pode me ver do jeito que você quiser, eu não vou fazer esforço para te contrariar, de tantas mil maneiras que eu possa ser, estou certo que uma delas vai te agradar.

Like what you read? Give Fernando Cardoso a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.