FHC, um último ato de decência

Por Fernando Castilho

Foto: Ricardo Stuckert

Lula o recebeu com um abraço fraternal, daqueles velhos tempos, esquecendo-se de toda injustiça e maldade que o senhor tem praticado contra ele. Todos vimos as fotos.

Caro Fernando Henrique Cardoso.

O senhor foi, ao lado de Lula e de outros, importantíssima voz na luta pela volta da Democracia ao participar das Diretas Já.

Apareceu em várias fotos ao lado de Lula. A esquerda com um intelectual e um operário unidos, enfim estava bem representada.

Mais tarde, ao assumir a presidência do Brasil, o senhor nos orientou a esquecer tudo aquilo que escrevera (alguma coisa era plágio mesmo e deveria ser esquecido).

O recado estaria mais completo se o senhor pedisse também que esquecêssemos seu posicionamento à esquerda dos tempos da USP, pois o senhor se tornou neoliberalista, passando para o lado escuro…

Tudo bem, Fernando Henrique, as pessoas mudam mesmo com o tempo.

Mas, com quantos anos o senhor está mesmo? Ah, 85 anos. Bem vividos, decerto.

Fernando, o senhor conhece muito bem Lula, não?

O senhor sabe que ele não é culpado das acusações que Moro lhe impinge, não sabe?

O senhor, como Lula, também foi obrigado a ser fiel depositário dos presentes que ganhou durante seu mandato, mas nem por isso foi a Moro para explicar ao juiz os trâmites burocráticos próprios dessa situação.

O senhor, assim como Lula, criou seu instituto após terminar o mandato e dá palestras recebendo pagamento justo por elas, mas nem por isso se dispôs a ir a Moro dizer que esse procedimento é normal.

Não, o senhor preferiu, num artigo escrito para a Folha de São Paulo, afirmar que as acusações que pairam sobre Lula são gravíssimas e que ele teria que provar sua inocência diante de Moro.

O senhor não é amigo dele. Amigos socorrem amigos.

O senhor sabe que ele é inocente, não sabe?

Afinal, o senhor também foi presidente, lidou com o Legislativo e o Judiciário, conhece todo mundo que divide o poder no Brasil. Sabe quem são os verdadeiros corruptos, inclusive, de seu partido.

O senhor sabe que a esposa de Lula, Marisa Letícia, pode ter sofrido o AVC devido à insuportável pressão que Lula, ela e seus filhos vêm sofrendo há 3 anos, pela perseguição implacável de Moro, não sabe?

Pois o senhor foi ao hospital em que Marisa jazia já morta, para oferecer suas condolências a Lula.

Lula o recebeu com um abraço fraternal, daqueles velhos tempos, esquecendo-se de toda injustiça e maldade que o senhor tem praticado contra ele. Todos vimos as fotos.

85 anos o senhor tem, não Fernando Henrique Cardoso?

Marisa Letícia se foi aos 66 anos, vítima de um AVC.

A expectativa de vida do homem brasileiro gira em torno dos 73 anos, portanto, Fernando, o senhor já está no lucro.

Nem sempre é verdadeira a crença que diz que o homem se torna sábio com o tempo.

Não está acontecendo com o senhor.

Fernando, creia, não somos eternos neste mundo, como o senhor talvez confie.

E o que o senhor deixará, além da presidência que exerceu? Esta imagem?

É tão difícil para o senhor protagonizar um ato de grandeza agora, já?

Por que não fazer um pronunciamento à mídia e à Nação, em defesa de Lula?

Os tucanos iriam execrá-lo?

O senhor perderia sua condição de oráculo no ninho?

Às favas, presidente! Eles não merecem nada, o senhor sabe.

Um último ato de grandeza para passar à sua biografia, presidente. Posso ser um tolo, mas ainda acredito nas pessoas.

A decência lhe cairia bem, creia.