Não cague na balada

Porque somos tudo, menos obrigados.

Se a Peppa faz em casa, você deveria fazer também. E ela é muito adulta.

Sinceramente? Me entristece e revolta o simples fato de estar escrevendo esse texto, pois se existiu essa necessidade, é porque esse fato realmente acontece.

Para todos nós, frequentadores assíduos da noite, baladeiros de plantão, novos boêmios… Ok, perdi o foco aqui… A questão é que possuímos um bom histórico de coisas presenciadas no ambiente da balada, mas a pior delas é definitivamente o banheiro cagado.

Por que cargas d’água um ser humano, dotado de um mínimo de inteligência, caga na balada? E não. Não estou transformando o assunto em tabu ou algo do tipo. Sou a favor do cocô livre de todo mundo, por mais que eu mesmo tenha a dificuldade de fazê-lo fora de casa. O problema é quando a criatura é tão desencanada que resolve deixar sua obra de arte exposta na privada para que todos no recinto possam apreciá-la mesmo à distância. Ou talvez o problema não seja nem o “desencanamento”, talvez seja maldade doentia mesmo, do tipo “Sei que tem uma fila de 20 pessoas pra usar esse único banheiro, mas vou mandar um barrão aqui para f*der todo mundo em escala”.

E olha que essa não é uma situação difícil de controlar, muitos problemas um pouco mais complicados já foram resolvidos ao longo da história da humanidade, como a ciência dos foguetes e o desenvolvimento da Teoria da Relatividade. Se conseguimos esses dois últimos pontos, conseguiremos segurar os seus movimentos peristálticos durante uma festinha. Comece, por exemplo, por evitar aquela feijoada antes de sair, ou aquele prato de comida indiana que sobrou do almoço, ou mesmo aquela buchada de bode que sua vó te fez com tanto amor e carinho. Guarde essas comidas para momentos que não envolverão um banheiro público e cerveja. Todo mundo sabe que cerveja solta o intestino (se você não sabia… de nada), então vamos evitar merdas como essa.

Não estou pedindo muito.

Apenas uma alimentação controlada e um pouco de compaixão com o próximo. Jesus fazia isso, por que você não pode fazer também? Pense que 57,3% dos vômitos em baladas acontecem com indivíduos que iam apenas fazer um xixi, mas acabaram encontrando um rabo de macaco decepado na privada. Vamos ajudar essas pessoas!

Mais uma vez: ninguém é obrigado a ver o que o seu Expresso Bosta já atravessou sua Estação C*. Guarde esse tipo de imagem para você mesmo. É estatisticamente comprovado que 82,1% dos países que implementaram penalidades para quem cagasse na balada, diminuíram suas taxas de mortalidade infantil em 20,7% e aumentam seus índices de IDH em 16,9%. Os números estão aí e o povo já se pronunciou, então você está esperando o que?

PARE DE CAGAR NA BALADA!!

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.