O Adulto #LivroDaVez

Ou como nunca mais dormirei em paz

“Eu não parei de bater punheta para os outros por não ser boa. Parei de bater punheta por ser a melhor”

Com essa frase poética e digna de uma maravilhosa tatuagem, se inicia o mais novo conto de Gillian Flynn, “O Adulto” (The Grownup). No conto, uma vidente vigarista é contratada por uma ricaça desesperada que acredita ter algum tipo de presença em sua casa que está influenciando seu enteado. Daí pra frente não dá pra contar mais coisa porque o conto é relativamente curto (por volta de umas 60 páginas), o que posso adiantar é que vocês vão cagar tijolos (as pessoas ainda usam essa expressão?). Fazia MUITO tempo que eu não sentia medo de verdade ao ler um livro.

Para quem não a conhece, Gillian Flynn é a autora do “Garota Exemplar” (“Gone Girl”, no título original), livro que deu origem ao filme homônimo de 2014 com Ben Affleck (“O Demolidor”, devemos usar essa referência mesmo?) e Rosamund Pike (“Orgulho e Preconceito”, apesar de não ter assistido e não saber o quanto ela realmente participou desse filme, mas era o melhorzinho da lista de “Conhecida por…” da IMDB). Eu ainda não assisti o filme, mas o livro é do tipo que você não consegue largar até descobrir o que está acontecendo. Além disso, por esses dois livros, já é possível ver que a autora sabe muito bem utilizar uma narração em primeira pessoa, o que a coloca na minha lista de favoritos logo de cara (não sei se já falei sobre minha obsessão em autores que utilizam bem a primeira pessoa, fica de dica pra um próximo texto).

Então se você curte uma boa história de suspense sobrenatural, livros em primeira pessoa e também tem pouco tempo para ler, “O Adulto” é uma ótima pedida. Só não leia em um noite chuvosa quando você estiver sozinho em casa e precisar dormir pra acordar cedo no outro dia… não que tenha acontecido comigo… só dizendo mesmo.