Com olhares entrelaçados em micro segundos me encara teu sussurrar mudo. No arfar de teus toques sinto próximo o corpo súbito. Mãos em minha nuca, acariciando firme como quem jogando sinuca um taco mira, atenta, firme. Arrepios em público, quem diria! Olhavam todos desatentos observadores de canto. “Calma”, pensei lúdica, “não é pra tanto.”.

Mas era.